Publicidade

Com procura a cair. Volkswagen Group prepara 30 novidades ainda para 2024

Texto: Francisco Cruz
Data: 18 de Março, 2024

Numa altura em que a procura no mercado mundial parece começar a desacelerar e a concorrência cresce a olhos vistos, o Volkswagen Group acaba de anunciar uma enorme ofensiva de produto para o ano em curso, com mais de 30 modelos novos ou renovados, a lançar nos mercados internacionais. Isto, também como forma de atenuar alguns, inesperados, tropeções…

O anúncio quanto a esta ofensiva de modelos novos ou renovados, foi feito durante a apresentação dos resultados do Volkswagen Group, relativos a 2023, com o director financeiro Arno Antlitz a defender que, embora a situação económica geral continue “desafiadora”,“para garantir que continuamos a ter sucesso de forma sustentável, vamos concentrar-nos, em 2024, no aumento de novos veículos e na redução de custos”.

De resto e “apesar das perspectivas económicas moderadas e da intensa concorrência”, “estamos confiantes em relação a 2024”, completou, em declarações reproduzidas pela Automotive News Europe, o mesmo responsável.

Arno Antlitz, o CFO do Volkswagen Group
Arno Antlitz, o CFO do Volkswagen Group

Especificamente para o ano que já decorre e depois de, em 2023, as entregas a clientes terem aumentado 12 por cento, para 9,24 milhões de veículos, enquanto a venda de veículos elétricos a bateria de todas as marcas do grupo aumentavam 35%, para um total de 771.000 unidades, o Volkswagen Group prevê, agora, uma evolução suave nas vendas, as quais não deverão crescer mais de 5%. Ou seja, bem menos que os 15% do ano transacto.

Muitas novidades… também na combustão

Ainda assim e a procurar contribuir para o ambicionado crescimento, o lançamento de propostas totalmente elétricas, como o Volkswagen ID.7 e ID.7 Tourer, o Porsche Macan, ou o Audi Q6 e-tron, além da versão mais longa do ID.Buzz

LEIA TAMBÉM
O primeiro. Volkswagen Group e chinesa Xpeng vão lançar SUV elétrico em conjunto

Já nos modelos a combustão, a promessa de atualizações em propostas como os Volkswagen Golf, Tiguan e Passat, ou ainda os Skoda Octavia e Superb. Com a justificação para esta aposta a resultar, também, do facto da procura por elétricos parecer estar a diminuir.

Aliás, quando questionado, precisamente, sobre o mercado de EVs, o CEO do Volkswagen Group, Oliver Blume, sentenciou que são “o futuro, e ponto final”. Não deixando, contudo, de acrescentar que, “somos flexíveis o suficiente para nos adaptarmos às mudanças nos diferentes mercados”.

Marcas generalistas sobem lucro

Ainda sobre as suas marcas, o grupo alemão revelou que o lucro operacional resultantes das vendas do Brand Core Group, ou seja, as marcas Volkswagen, Volkswagen Veículos Comerciais, Skoda e Seat/Cupra aumentou 5,3%, face aos 3,6% registados em 2023. Mantendo-se, por isso, a meta dos 8%. 

A Cupra foi uma das marcas que contribuiu para o crescimento do lucro operacional do Brand Core Group
A Cupra foi uma das marcas que contribuiu para o crescimento do lucro operacional do Brand Core Group

Já no Progressive Brand Group, ou seja, Audi, Lamborghini, Bentley e Ducati, o lucro caiu de 12,3% para 9%, enquanto no Brand Group Sport Luxury (Porsche), o lucro operacional manteve-se nos 18,6% de 2023.

O desaire Cariad

Finalmente e quanto a custos, o Volkswagen Group assume estar em processo de redução dos mesmos, nomeadamente, através da diminuição, em cerca de um quinto, dos custos com pessoal administrativo, na marca Volkswagen

Ao mesmo tempo, o construtor alemão tem igualmente esperanças de que o aumento das encomendas de veículos ajude a atenuar as perdas registadas com a unidade de software Cariad, a qual reportou um prejuízo operacional de 2,4 mil milhões de euros até 2023.

O software desenvolvido pela Cariad tem sido uma das pedras no sapato do Volkswagen Group
O software desenvolvido pela Cariad tem sido uma das pedras no sapato do Volkswagen Group

De resto, também os serviços financeiros do grupo registaram, em 2023, uma descida, de cerca de um terço, no seu lucro operacional, devido à queda no preço dos usados.