Publicidade

Daytona SP3. Ferrari apresenta o novo elemento da exclusiva série ‘Icona’

Texto: Francisco Cruz
Data: 22 de Novembro, 2021

A Ferrari acaba de dar a conhecer o mais recente elemento da hiper-exclusiva série ‘Icona’, o Daytona SP3. Proposta inspirada nos protótipos 330 P3/4, 330 P4 e 412 P que arrebataram o pódio das 24 Horas de Daytona de 1967 e da qual existirão apenas 599 unidades, cada uma com o preço de dois milhões de euros… mas que, ainda assim, já estão todas vendidas.

Apresentado em pleno Autódromo Internacional de Mugello, durante as Ferrari World Finals de 2201, escoltado por outros dois produtos da série ‘Icona’, o novo Ferrari Daytona SP3 é a mais recente homenagem da marca do Cavallino Rampante à histórica vitória dos protótipos 330 P3/4, 330 P4 e 412 P, em casa do rival Ford, o Daytona International Speedway. Nomeadamente, ao arrebataram, no dia 6 de fevereiro de 1967, a totalidade do pódio das 24 Horas de Daytona, primeira prova no Campeonato do Mundo de Protótipos Desportivos desse ano.

Foi, precisamente, a recordar esses anos de ouro do automobilismo, mas também a inovação que marca de Maranello já então exibia, que a Ferrari apresenta, agora, o seu mais recente produto da exclusiva série ‘Icona’, um roadster que, de resto, os responsáveis do Cavallino anunciam como um novo passo na inovação. Mais concretamente, apresentando-o como o superdesportivo de estrada mais aerodinâmico já construído pelo fabricante; e, isto, mesmo sem contar com qualquer pacote aerodinâmico activo.

Ainda assim, realce-se o facto deste Ferrari Daytona SP3 não deixar de exibir generosas entradas de ar e soluções aerodinâmicas, inclusivamente, nas portas de abertura tipo asa de borboleta. Com o ar a ser, a partir daí, direccionado para os radiadores montados nas laterais, como forma de contribuir para uma melhor refrigeração do motor.

LEIA TAMBÉM
Espírito de competição – Ferrari Monza SP1 e SP2

Contudo e em termos estéticos, as maiores novidades estão, sem dúvida, na traseira. Onde, logo abaixo do spoiler traseiro, surgem uma série de barras horizontais a toda a largura, nas quais estão integradas as luzes traseiras. Sendo também daí que sobressai um volumoso difusor traseiro, com ponteiras de escape duplas montadas centralmente e ainda mais salientes.

Ferrari Daytona SP3
Ferrari Daytona SP3

Passando ao interior, uma estética também ela influenciada pelas linhas exteriores, com o pára-brisas a abraçar o habitáculo, onde os bancos, idênticos aos de competição, integrados no chassis, e cintos de segurança de cinco pontos, surgem complementados por uma pedaleira ajustável, ao mesmo tempo que a Interface Homem-Máquina da Ferrari permite ao condutor interagir com praticamente todas (cerca de 80%) as funcionalidades do automóvel, sem ter de tirar as mãos do volante em couro e com aplicações em carbono, além de com compridas patilhas na coluna de direcção.

O mais potente motor já produzido pelo Cavallino

Como propulsor, um impressionante V12 6,5 litros (F140HC) originário do 812 Competizione, mas também atualizado com bielas de titânio, novos pinos de pistão com tratamento ‘Diamond Like Carbon’ e cambota reformulada 3% mais leve. Tudo isto de forma a reduzir o peso do bloco, mas também a debitar uma potência máxima de 840 cv e 697 Nm de binário máximo. E que o tornam o motor mais potente já produzido pela Casa de Maranello.

Ferrari Daytona SP3
Ferrari Daytona SP3

A acompanhar este bloco, cujo red-line chega às 9.500 rpm, uma transmissão automática de sete velocidades, a ajudar a garantir uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em tão-só 2,86 segundos, assim como o atingir dos 200 km/h em 7,4 segundos.

Por outro lado e graças ao “redesenhar radical” da admissão do motor, neste caso com um colector e um plenum mais compactos, o motor também produz menos 30 por cento de emissões poluentes e partículas que no 812 Competition.

Ainda no aspecto técnico, a utilização de materiais compostos, como a fibra de carbono ou o Kevlar, no chassis e na carroçaria. Sendo que este Daytona SP3 é também o primeiro Ferrari equipado com um V12 a dispor do Ferrari Dynamic Enhancer (FDE), o qual tem por missão tornar a condução nos limites, mais fácil e eficaz, nomeadamente, quando em curva.

Ferrari Daytona SP3
Ferrari Daytona SP3

Finalmente e como pneus, um novo P Zero Corsa produzido pela Pirelli especificamente para este SP3, optimizado, tanto para piso molhado, como seco.

Gostava de ter um? Esqueça, estão todos vendidos!

Modelo de produção limitada, como, aliás, todos os  superdesportivos da série ‘Ferrari Icona‘, do Daytona SP3 serão produzidos, por isso, apenas 599 unidades. Ou seja, mais 100 do que as duas variantes do anterior ‘Icona’, os Monza SP1 e SP2, e cujas primeiras entregas só deverão ter lugar no último trimestre de 2022, 2023 e 2024.

Ferrari Daytona SP3
Ferrari Daytona SP3

Ainda assim e mesmo com um preço de entrada, em Itália e já com os impostos incluídos, de dois milhões euros, se estava a pensar encomendar um, esqueça! É que, segundo também revelou a marca do Cavallino Rampante, já estão todos vendidos…