Ferrari 488 Pista revela poder extremo

Texto: Nuno Fatela
Data: 21 Fevereiro, 2018

O mais poderoso V8 do Cavallino Rampante surge como evolução do 488 GTB e bebe inspiração do mundo da competição. O próprio nome, Ferrari 488 Pista, evoca a memória repleta de triunfos da marca no desporto motorizado.

A  Ferrari acaba de apresentar o modelo V8 mais potente da sua história, confirmando que será 488 Pista (ao contrário das várias hipóteses anteriormente avançadas) a elevar as já estupendas performances do 488 GTB. Mais leve em 90kg que este, ele eleva em 50cv a potência do Motor Internacional do Ano de 2016 e 2017, acolhendo ainda várias melhorias ao nível da aerodinâmica e na eletrónica que, como o próprio nome Ferrari 488 Pista, são oriundas do mundo da competição.

O novo desportivo da Maranello foi desenvolvido tendo como base o modelo que nos últimos cinco anos dominou o WEC na categoria GTE. Um importante legado, confirmando pelos cinco últimos títulos do Mundial de Resistência e mais de 50% de vitórias (29 em 50 corridas). Além disso surge uma entrada de ar dianteira inspirada na F1, o que significa que o novo Ferrari 488 Pista tem genes das duas classes de topo do desporto motorizado.

 

Mecânica de topo

O mais potente V8 da história da marca é agora o V8 Twinturbo de 720cv às 8000RPM, o que o coloca 20cv acima do rival Porsche 911 GT2 RS. Além disso, a potência específica de 185cv/l é também a mais elevada da sua categoria. Já o binário do novo Ferrari 488 Pista alcança os 770Nm às 3000RPM com o “foguete” transalpino em sétima velocidade. O resultado é uma aceleração até aos 100km/h em apenas 2,85 segundos, que os 200km/h são ultrapassados em somente 7,6 segundos e que a velocidade máxima fica acima dos 340km/h.

Para este registo contribui a “dieta” efetuada no motor de oito cilindros, em que se destacam imediatamente os coletores de escape em Inconel (liga superleve que combina níquel e crómio). Também a cambota e o volante do motor são de baixo peso, enquanto os cames são fabricados em titânio. Junta-se a inclusão de sensores de rotações nos turbos, que beneficiam ainda da passagem da admissão para os flancos do spoiler traseiro, que garante um fluxo de ar mais limpo. Isto permitiu subir o binário em todos os regimes e oferecer uma resposta mais rápida do turbo, de que resultam uma aceleração mais potente e consistente. Outra “garantia Ferrari” é a sonoridade do motor, que está mais intensa e de qualidade superior à já incrível sinfonia do 488 GTB.

A eletrónica foi outro foco no desenvolvimento do Ferrari 488 Pista, já que o SSC 6.0 (Side-Slip Angle Control) incorpora agora os sistemas e-Diff 3, F1-Trac e, em estreia, o Ferrari Dynamic Enhancer. Este último é definido como um sistema que gere a pressão das pinças para uma travagem otimizada, ajudando a melhorar o controlo em pista. Algo que os condutores vão sentir especialmente à saída das curvas, com um comportamento mais previsível e intuitivo do carro. Isto garante maior confiança, pois homem e máquina formam uma ligação simbiótica numa combinação extrema de performance e sensações fortes.

 

Aerodinâmica que influencia o estilo

O design do novo Cavallino é focado na aerodinâmica, a partir da qual deriva a estupenda imagem obtida. A intenção da marca foi apenas uma – máxima performance – e para isso começou logo por incorporar uma entrada de ar ao centro da dianteira (S-Duct) idêntica aos monolugares da Fórmula 1. Também os ângulos do difusor na frente foram otimizados em relação ao 488 GTB, e a preocupação aerodinâmica estendeu-se também ao fundo plano, que recebe alterações para melhorar o fluxo do ar.

A traseira é a zona onde a componente aerodinâmica do Ferrari 488 Pista está mais sublinhada, desde logo com a opção pelo difusor bipartido. A marca explica que mantém esta opção pois considera que isso traz benefícios na extração do ar e gera maior downforce. Algo para que também contribui o spoiler traseiro mais longo, ajudando a um aumento de 20% na carga aerodinâmica total do novo desportivo 488.

É precisamente na S-Duct dianteira que tem início todo o visual deste Ferrari, que confere a sensação de uma dianteira mais curta. Além disso, indica a marca, significa que esta potente criação parece sempre uma seta apontada à próxima curva. A decoração do desportivo começa igualmente nesta entrada de ar da frente, com os contrastes da imagem a enfatizar os elementos de melhoria aerodinâmica. Como se vislumbra no que a Ferrari designa como “traseira de golfinho”, que simboliza a leveza e eficácia, enquanto o volume da retaguarda mostra o poder do V8 mais potente da marca. Opcionalmente, o Ferrari 488 Pista é o primeiro do emblema transalpino a poder contar com jantes de 20’’ em fibra de carbono, recorrendo neste componente para o mesmo material que surge na cobertura do motor, extremidades e spoiler traseiro.