Kia Picanto Restyling

Publicidade

Procura carro barato? Revelamos seis modelos por menos de 16.000€

Texto: Carlos Moura
Data: 25 de Janeiro, 2023

Se está à procura de carro e o preço mais baixo possível é, mesmo, a sua única exigência, eis seis modelos que estão disponíveis no mercado nacional, por preços abaixo dos 16.000€. Propostas que, sendo à partida apetecíveis, também acabam por implicar, note-se, o prescindir de alguns argumentos, tão ou mais importantes…

O preço de venda ao público dos automóveis tem vindo a aumentar nos últimos anos e de tal forma que existem modelos de segmento B (utilitários) que passaram a ser comercializados por valores de viaturas do segmento C (médio inferior / compactos).

A subida de preços explica-se por vários factores. Um deles é naturalmente o aumento do custo das matérias-primas, assim a introdução de mais componentes eletrónicos nos veículos, mas estão longe de serem os únicos. 

A instalação obrigatória de novos dispositivos de segurança ativa e passiva ou de controlo das emissões de gases de escape também justificam o incremento dos preços dos veículos.

Para agravar a situação, o efeito combinado da paragem das fábricas não só na Europa como depois na China durante a pandemia, a crise dos semicondutores, a invasão da Ucrânia – país onde eram produzidos bastantes componentes para a indústria automóvel europeia – pela Rússia tiveram efeitos significativos na cadeia de abastecimento. As subidas no custo da energia, dos transportes e das matérias-primas vieram agravar um cenário já de si pouco favorável.

A diminuição da produção e o aumento da procura levou as marcas automóveis a aumentarem os preços dos veículos, abandonando a política de descontos, e a apostar em modelos mais rentáveis, deixando de produzir aqueles que proporcionam menos margens.

Não obstante este panorama pouco animador ainda é possível comprar veículos por preços relativamente mais aceitáveis, abaixo dos 16 mil euros. Consultando os configuradores das marcas, identificamos seis que estão em comercialização no mercado nacional, sendo que a maioria pertence ao segmento A (económico / citadinos), embora também estejam disponíveis alguns utilitários. 

Citroën C3 You! 1.2 PureTech 83 cv – 15.854€

A seguir ao Ami, que não é um automóvel mas um quadriciclo, a proposta mais acessível da Citroën é o C3 You! que veio ocupar o espaço deixado vago pelo Citroën C1, que foi descontinuado.

Desenvolvida a partir do nível “Feel” do C3, a série especial C3 You! conta com todos os atributos e qualidades de um citadino versátil, assim como equipamentos descritos pela marca como essenciais como o sistema de audio MP3, ar condicionado, retrovisores elétricos aquecidos, cruise control e sistema de alerta de saída involuntária da faixa de rodagem. 

Citroën C3 You!

No capítulo mecânico, o C3 You! recebe o conhecido motor a gasolina de 1199 cc, denominado 1.2 PureTech que debita uma potência de 83 cv às 5750 rpm e um binário de 118 Nm às 2750 rpm, permitindo acelerar dos 0 aos 100 km/h em 13,3 segundos. A transmissão da potência às rodas dianteiras está a cargo de uma caixa manual de cinco velocidades. 

Com um comprimento exterior de quase quatro metros, uma largura de 1,75 metros e uma altura de 1,74 metros, o compacto da Citroën é um dos maiores na categoria dos modelos disponíveis por menos de 16 mil euros, sendo de referir que estes valores não incluem opcionais.

Além da série especial C3 You!, este modelo também proposto nos níveis de equipamento C-Series, Shine e série especial ELLE, com preços a partir de 18.395 euros.  

Hyundai i10 1.0 MPi Comfort – 15.665€

O modelo de entrada na gama da Hyundai é o i10, que é proposto no mercado nacional a partir dos 15.665 euros para o nível de equipamento Comfort e motorização 1.0 MPi. Este último é um bloco atmosférico de de 998 cc de três cilindros que debita uma potência de 67 cv às 5500 rpm e um binário máximo de 96 Nm às 3750 rpm.

Como ja é habitual no segmento dos citadinos, a tracção é assegurada pelas rodas dianteiras, sendo a potência transmitida às mesmas por uma caixa manual de cinco velocidades. Em termos de prestações, o valor da aceleração dos 0 aos 100 km/h é de 14,8 segundos, estando na média da categoria. 

Hyundai i10

Não obstante um comprimento exterior de 3,67 metros, uma largura de 1,68 metros e uma altura de 1,48 metros, a marca reivindica que é possível acomodar cinco ocupantes no habitáculo, graças a uma generosa distância entre-eixos de 2,43 metros.  

A dotação de série do nível de equipamento Comfort é bastante razoável, destacando-se os seis airbags (condutor, passageiro, laterais e de cortina), alavanca da caixa de velocidades em pele, ar condicionado manual, comandos do audio e cruise control no volante, Bluetooth com reconhecimento de voz, alerta de fadiga do condutor, ecrã tátil de 8”, travagem autónoma de emergência, sistema auxiliar de arranque em subidas, integração de smartphone Apple CarPlay e Android Auto, alerta de arranque de veículo dianteiro, retrovisores exteriores elétricos e aquecidos, sistema de manutenção na faixa de rodagem, entre outros. 

Além desta motorização, esta disponível uma outra, também de 999 cc mas sobrealimentada com 100 cv e caixa manual, com preço a partir de 18.140 euros. 

Renault Twingo Equilibre SCe 65 – 15.480€

O simpático citadino da Renault continua em comercialização, de acordo com o configurador da marca e com um preço a partir de 15.480 euros para o nível de equipamento Equilibre, associado à motorização atmosférica de três cilindros de 999 cc que oferece uma potência de 65 cv e um binário máximo de 95 Nm.

A potência é transmitida às rodas dianteiras através de uma caixa manual de cinco velocidades. Naturalmente que esta potência associada a um peso em vazio de 993 quilos garante apenas as prestações expectáveis para um citadino, com a aceleração dos 0 aos 100 km/h a não ir além de uns modestos 15,1 segundos. 

Renault Twingo

Destacando-se pelas suas dimensões compactas, com apenas 3,61m de comprimento, 1,65 metros de largura e o  Renault Twingo está disponível com carroçaria de cinco portas e disponibiliza uma lotação para quatro ocupantes. 

A dotação de série do Twingo Equilibre não é propriamente vasta, mas ainda conta com ar condicionado automático, fecho central de portas, Easy Link 7” (sem navegação) com replicação de smartphone e compatibilidade com Android Auto e/ou Apple CarPlay, sensores de chuva e luminosidade, computador de bordo e painel de bordo analógico. 

Além do Equilibre, a oferta do Twingo inclui ainda o nível de equipamento Urban Night, com a mesma motorização e preço a partir de 17.780 euros.

Fiat Panda 1.0 Hybrid – 15.295€

Um dos modelos históricos da Fiat e uma das referências do segmento dos citadinos é indiscutivelmente o pequeno Panda, que no mercado nacional é proposto a partir de 15.295 euros na versão 1.0 Hybrid de 70 cv.

O Fiat Panda adaptou-se aos tempos modernos e recebeu uma motorização micro-híbrida (mild-hybrid) constituída por um bloco de três cilindros de 1,0 litro e um motor elétrico BSG (Belt-Integrated Start Generator), sendo deste último fornecida por uma pequena bateria de iões de lítio com uma capacidade de 11 Ah, apenas o suficiente para dar uma pequena ajuda de 3,6 kW nos nos arranques. 

O motor 1.0 FireFly Hybrid desenvolve uma potência de 70 cv às 6000 rpm e um binário de 92 Nm às 3500 rpm. Em termos de prestações, estas estão em linha com a média do segmento, com a aceleração dos 0 aos 100 km/h a não ir além dos 14,7 segundos. A transmissão da potência às rodas dianteiras é assegurada por uma caixa manual de seis velocidades, o que não é muito habitual na categoria.

Fiat Panda

Com um comprimento de 3,69 metros, uma largura de 1,67 metros e uma altura de 1,55 metros, o Panda Hybrid não tem dificuldades em movimentar-se em ambiente urbano e o estacionamento também não constitui um problema dramático, atendendo às dimensões compactas. 

O equipamento de série inclui ar condicionado automático, start-stop, airbag duplo e de cortina, ESP (sistema de controlo eletrónico de estabilidade, rádio 5” com USB e Bluetooth, telecomando de abertura / fecho de portas, alerta de falta de pressão nos pneus (TPMS) entre outros. 

Além desta versão, o Panda Hybrid também é proposto nos níveis de equipamento Red (desde 17.093€), Cross (desde 18.271€) e Garmin (desde 19.143€).

Kia Picanto 1.0 CVVT ISG 5P Urban  – 15.005€

O modelo acesso à gama da Kia no mercado nacional é o Picanto, que está disponível a partir de 15.005 euros no nível de equipamento Urban e motorização atmosférica a gasolina de três cilindros com 998 cc que desenvolve uma potência de 67 cv às 5500 rpm e um binário de 98 Nm às 3750 rpm. 

O propulsor está associado a uma caixa manual de cinco velocidades. A tração é dianteira e a aceleração dos 0 aos 100 km/h de 14,6 segundos também não impressiona, mas está na média do segmento.

Kia Picanto

Com um comprimento de 3,98 metros, uma largura de 1,39 metros e uma altura de 1,49 metros, o Kia Picanto possui as dimensões adequadas para se movimentar com desenvoltura no tráfego urbano, enquanto o espaço para estacionamento também não será um dos maiores problemas.

No nível de equipamento Urban, o citadino da Kia possui uma dotação bastante interessante que já inclui assistente de embate frontal, controlo eletrónico de estabilidade, auxiliar de arranque em subida, ar condicionado manual, Bluetooth mãos-livres com comandos de voz, coluna da direção ajustável em altura, fecho centralizado, sensor de luminosidade, câmara de estacionamento traseira com guias dinâmicos, cluster digital 4,2” TFT, rádio com ecrã tátil de 8” com Android Auto e Apple CarPlay, entre outros.

Além da caixa manual, o Picanto Urban também pode receber uma caixa automática de cinco velocidades, elevando o preço para os 18.155 euros. A oferta da gama inclui ainda a versão GT-Line com motor turbo a gasolina de 998 cc com 100 cv, caixa manual de cinco velocidades, estando disponível a partir de 16.005 euros.

Dacia Sandero Essential SCe 65 – 11.650€ 

E o modelo mais acessível no mercado nacional é o Dacia Sandero, que está disponível a partir de 11.650 euros no nível de equipamento Essential, associado a um motor atmosférico de três cilindros a gasolina com 999 cc que desenvolve uma potência de 67 cv às 6300 rpm e um binário de 95 Nm às 3600 rpm. A potência é transmitida à rodas dianteiras por uma caixa manual de cinco velocidades.

Naturalmente que as prestações não serão propriamente de entusiasmar, com a aceleração dos 0 aos 100 km/h a ser cumprida em 16.7 segundos.

Dacia Sandero

A dotação de série também não será das mais generosas, mas mesmo assim conta com computador de bordo, fecho centralizado com comando à distância e chave de três botões, sensores de luminosidade, faróis diurnos LED, sistema de travagem de emergência ativa (AEBS), assistência à travagem de emergência (AFU), regulador e limitador de velocidade, quadro de instrumentos TFT de 3,5”, Media Control, com rádio DAB e ligação Bluetooth.

O Dacia Sandero Essential também está disponível com o motor de três cilindros turbo de 999 cc (TCe 100 ECO-G) que debita uma potência de 100 cv, a partir de bicarburação GPL, isto é, alimentação mista a gasolina e gás de petróleo liquefeito. Esta proposta está disponível a partir de 13.750 euros. 

A versão mais equipada da gama Sandero é a Expression, a qual tem um preço de venda ao público a partir de 15.100 euros.

Mas, atenção – preço também implica cedências!

Infelizmente, a ditadura do preço, também acaba resultando em concessões importantes, como é o caso da segurança.

Alguns modelos têm plataformas relativamente antigas, o que se traduz nos resultados dos testes Euro NCAP. Os modelos melhor classificados como o Renault Twingo ou Citroën C3, com quatro estrelas, enquanto outros como o Dacia Sandero ou o Fiat Panda não conseguiram melhor do que duas ou mesmo zero estrelas, respetivamente.

Os motores de baixa cilindrada prometem consumos entre cinco e seis litros por cada cem quilómetros percorridos, o que promete custos relativamente contidos, mas as prestações estão longe de ser satisfatórias, como demonstram os valores de aceleração dos 0 aos 100 km/h superiores a 13 segundos.

Por outro lado, a capacidade da bagageira também é exígua, enquanto o espaço a bordo também não é folgado.