Publicidade

Com a Ucrânia em guerra. Skoda já produz as suas próprias cablagens

Texto: Francisco Cruz
Data: 7 de Junho, 2022

Numa altura em que a guerra na Ucrânia não dá sinais de poder estar perto do fim, a Skoda foi um dos fabricantes que decidiu fazer frente à escassez de cablagens, muitas delas fabricadas no país que está a ser alvo de uma agressão da Rússia, fabricando os seus próprios componentes, na República Checa.

Segundo noticia a Automotive News Europe, a Skoda é uma das marcas automóveis, no seio do Grupo Volkswagen, que, em conjunto com outros concorrentes, como a BMW, a Mercedes-Benz, ou a Ford, acabaram sendo fortemente afectadas pela interrupção da produção nas fábricas ucranianas de componentes automóveis. 

No entanto e no caso da marca checa, a resposta a esta dificuldade acrescida, terá passado por avançar para a produção dos componentes fabricados na Ucrânia, dentro de portas, ou seja, em Mlada Boleslav, perto de Praga. Onde, em conjunto com a empresa checa de cablagens PEKM Kabeltechnik, montou zonas dedicadas para produção destas soluções.

Uma das linhas de produção em Mlada Boleslav, neste caso, com o Fabia como protagonista
Uma das linhas de produção em Mlada Boleslav, neste caso, com o Fabia como protagonista

Ainda de acordo com a mesma fonte, o primeiro modelo a receber estas novas calagens deverá ser a mais pequena das carrinhas, com base no Fabia. Dentro de mais algumas semanas, também o Octavia, o Kodiaq, o Karoq e o Superb, passarão a utilizar estes novos componentes.

A terminar, recordar, apenas e conforme também refere a Auto News, que a Skoda já teve de suspender a produção do seu elétrico Enyaq, por um período de oito semanas, a contar a partir do dia 3 de março, devido, precisamente, à falta de cablagens.

LEIA TAMBÉM
Abaixo dos 20.000€. Novo Skoda Fabia já disponível em Portugal

Entretanto e além de ter assegurado algum fornecimento da empresa alemã Kromberg & Schubert, fabricante deste tipo de material numa fábrica que possui em Rabat, Marrocos, a Skoda tem igualmente planos para duplicar a capacidade de produção de cabos de alta-voltagem para carregamento de veículos elétricos, na Roménia, já a partir do final do mês de junho.