Publicidade

A combustão. Toyota garante que próximos motores serão revolucionários

Texto: Francisco Cruz
Data: 6 de Junho, 2024

Anunciada a intenção de continuar a a desenvolver e produzir motores a combustão, a Toyota acaba de lançar nova acha para a fogueira que promete chamuscar os elétricos puros, ao garantir que a próxima geração de motores será, não apenas “completamente diferente”, como também “revolucionária”.

A garantia veio do Director para a Tecnologia (CTO) da Toyota Motor Corporation, Hiroki Nakajima, que, em declarações à Automotive News Europe, assegurou que, os novos motores de quatro cilindros 1,5 e 2,0 litros serão “uma solução potencialmente revolucionária”.

Hiroki Nakajima, CTO da Toyota Motor Corporation
Hiroki Nakajima, CTO da Toyota Motor Corporation

Segundo Nakajima, estes novos blocos serão “completamente diferentes” daquela que é a atual tecnologia, desde logo, por aproveitarem todo o conhecimento obtido no desenvolvimento do motor a hidrogénio, para o Mirai. Nomeadamente, os ganhos em termos de eficiência energética.

LEIA TAMBÉM
Toyota, Mazda e Subaru vão desenvolver novos motores de combustão

Embora sem avançar muito sobre estes avanços, apesar da própria Toyota ter já afirmado, há não tanto tempo quanto isso, que as melhorias alcançadas atingem os 40%, o engenheiro revelou, por exemplo, que, os novos motores de quatro cilindros terão pistões com um curso mais curto, “tarefa difícil de concretizar”, além de serem mais pequenos, de forma a permitirem “uma revolução naquilo que são as dimensões do motor”.

Com um motor mais pequeno, os veículos passarão a ter, também, secções frontais mais baixas, além de mais aerodinâmicas, garantindo, dessa forma, uma optimização do fluxo de ar.

O novo quatro cilindros 1,5 litros que a Toyota ainda se encontra a desenvolver
O novo quatro cilindros 1,5 litros que a Toyota ainda se encontra a desenvolver

Quanto a uma possível e forçada redução do binário daí resultante, Nakajima garantiu que tal poderá ser compensado com a resposta instantânea oferecida por um motor elétrico. Já que estes novos trens de força têm vindo a ser desenvolvidos na forma de híbridos.

Finalmente e no se refere à chegada ao mercado, o responsável avança que a hipótese poderá vir a ser uma realidade por volta de 2027, com a promessa de que funcionarão, não apenas com combustíveis fósseis, como também com sintéticos

Aliás, o próprio CTO da marca nipónica assegura que esta nova geração de motores “têm muito espaço para onde avançar”, existindo, desde já, muitos avanços em termos de engenharia que o fabricante não está disposto a revelar. Pelo menos, para já.

Os novos motores prometem ser mais compactos e pequenos, o que, além de maior eficácia energética, deverá permitir carroçarias com melhor aerodinâmica
Os novos motores prometem ser mais compactos e pequenos, o que, além de maior eficácia energética, deverá permitir carroçarias com melhor aerodinâmica