Mobieco

Publicidade

Carlos Tavares. Stellantis afasta colaboração com a Toyota no hidrogénio

Texto: Carlos Moura
Data: 15 de Junho, 2022

Apesar de apostarem na tecnologia da pilha do combustível e do hidrogénio não haverá uma colaboração entre a Stellantis e a Toyota, segundo adiantou Carlos Tavares aos jurados do IVOTY durante a apresentação dos novos comerciais médios a hidrogénio.  

A Stellantis afasta a possibilidade de uma colaboração com a Toyota no domínio do desenvolvimento da tecnologia da tecnologia da pilha de combustível, segundo afirmou Carlos Tavares, CEO do construtor que resultou da fusão entre o PSA Group e a FCA, durante a apresentação aos jurados do IVOTY – International Van of the Year da gama de comerciais de dimensões médias a hidrogénio. 

Apesar da Stellantis fornecer dois comerciais ligeiros à Toyota das gamas média, Proace, e compacta, Proace City, quer nas versões com motor de combustão interna, quer elétricas, e de ter anunciado um novo acordo para a produção de um comercial de grandes dimensões para a marca japonesa na Europa a partir de 2024, e de ambos os construtores estarem empenhados no aprofundamento da tecnologia da pilha de combustível, Carlos Tavares sublinhou que “decidimos não trabalhar juntamente com a Toyota na tecnologia da pilha de combustível”.

O CEO da Stellantis garante que não existem quaisquer “planos para uma colaboração estratégica”, mas adiantou que isso irá “acontecer noutras áreas” sem, no entanto, especificar quais. 

Oferta complementar 

Relativamente à nova oferta de veículos comerciais ligeiros de dimensões médias com tecnologia da pilha de combustível, Carlos Tavares refere que esta vai ser complementar à dos veículos elétricos com bateria de tração e motor de combustão interna. “Os clientes devem poder escolher as soluções mais adaptadas ao seu tipo de operação”, acrescenta.

Os novos Citroën ë-Jumpy Hydrogen, Opel Vivaro-e Hydrogen e Peugeot e-Expert Hydrogen vão começar a ser introduzidos na Alemanha e em França, países onde já começa a existir uma infraestrutura de abastecimento, além de apoios à aquisição por parte dos respetivos governos. A este propósito, Carlos Tavares não hesita em dizer: “Começámos na Alemanha e em França porque os incentivos são muito bons!”

Relativamente à infraestrutura de abastecimento de hidrogénio, Carlos Tavares considera que é crucial, referindo que “estamos muito dependentes do desenvolvimento das infraestruturas”.

O CEO da Stellantis acredita que “quanto mais pessoas utilizarem veículos elétricos – a bateria ou hidrogénio – maior será a pressão junto do poder político para aumentar a infraestrutura”, sublinhando que a “rendibilidade será a chave”. 

Carlos Tavares adiantou que a Stellantis – ao contrário da Renault com a Hyvia – não está no negócio das infraestruturas. Caso os grandes frotistas necessitem de implementarem uma infraestrutura própria de abastecimento, o CEO da Stellantis afirma que o grupo stá disposto a colaborar nessa área em conjunto com fornecedores parceiros. 

Gama já disponível

A Stellantis apresentou os novos Citroën ë-Jumpy Hydrogen, Opel Vivaro-e Hydrogen e Peugeot e-Expert Hydrogen em Rüsselsheim, na Alemanha. Estes comerciais de dimensões médias são baseados nas versões elétricas a bateria dos modelos congéneres e são propostos em dois comprimentos de carroçaria – L2 (4,95 m) e L3 (5,30 m).

As versões a hidrogénio são preparadas no Centro Stellantis de Rüsselsheim – Opel Special Vehicles – na Alemanha. Na operação de conversão é retirado o módulo da bateria de tração e instalado um módulo com três depósitos de hidrogénio com uma capacidade de 4,4 kg e autonomia para 350 km. Por baixo dos bancos dianteiros é colocada uma bateria de iões de lítio com capacidade de 10,4 kWh e autonomia para 50 km. A pilha de combustível de 45 kW é montada por cima do motor elétrico de 100 kW (136 cv), localizado por baixo do capot.

LEIA TAMBÉM
Stellantis vai lançar comerciais médios a hidrogénio

A pilha de combustível pode produzir energia para alimentar o motor elétrico em longos trajetos em autoestrada, enquanto a bateria de iões de lítio disponibiliza s potência necessária no arranque ou em acelerações mais fortes. Como a bateria assegura as necessidades de acréscimo de potência, a pilha de combustível pode funcionar em condições ótimas.

Além dos Citroën ë-Jumpy Hydrogen, Opel Vivaro-e Hydrogen e Peugeot e-Expert Hydrogen, a Stellantis irá reforçar a oferta a pilha de combustível com um comercial de grandes dimensões em 2024, uma pick-up em 2026 e ainda um Heavy-Duty Truck, sendo estes últimos baseados em modelos da RAM.