Mobieco

Publicidade

Stellantis. Ofensiva elétrica estende-se aos comerciais compactos

Texto: Carlos Moura
Data: 18 de Outubro, 2021

Com o lançamento dos novos comerciais compactos  Peugeot e-Partner, Citroën ë-Berlingo e Opel / Vauxhall Combo-e, a Stellantis é o primeiro grande construtor a disponibilizar uma gama completa de veículos comerciais elétricos. 

Os veículos comerciais elétricos deverão representar 25% do total de vendas das marcas da Stellantis – Peugeot, Citroën, Opel / Vauxhall – em 2025, percentagem que deverá aumentar para 70% em 2030. Para atingir esse objetivo estratégico, o construtor automóvel liderado pelo português Carlos Tavares tem vindo a alargar a sua gama eletrificada.

Após a introdução no mercado da gama de comerciais médios – Peugeot e-Expert, Citroën ë-Jumpy e Opel Vivaro-e – que conquistou o prestigiado prémio de “Veículo Comercial Internacional do Ano de 2021”, atribuído por um painel de jornalistas da imprensa especializada europeia, e do lançamento em setembro da gama de comerciais de grandes dimensões – Fiat e-Ducato, Peugeot e-Jumper, Citroën ë-Jumper e Opel Movano-e – a Stellantis prepara-se para estender a sua oferta aos comerciais compactos: Peugeot e-Partner, Citroën ë-Berlingo, Opel / Vauxhall Combo-e.

A nova gama elétrica partilha a mesma plataforma EMP2 Multi-Energy com a mais recente geração de modelos de combustão interna, que já regista mais de um milhão de unidades vendidas desde 2019. Isso significa que estará disponível em dois comprimentos exteriores, com 4,4 metros e 4,75 metros, em versões de mercadorias, passageiros e misto (este último apenas na versão longa).

Autonomia até 275 km

A Stellantis sublinha que os novos comerciais elétricos compactos foram desenvolvidos com o intuito de satisfazerem as expetativas dos clientes quando optam pela versão elétrica, designadamente em termos de autonomia, capacidade de carga (até 800 kg) e de reboque (até 750 kg), e possibilidades de conversão.

A linha motriz dos novos Peugeot e-Partner, Citroën ë-Berlingo, Opel / Vauxhall Combo-e é constituída por um motor elétrico de 100 kW, uma bateria de iões de lítio de 50 kWh, um carregador de bordo, de 7,4 kW (monofásico) ou 11 kW (trifásico. Em termos de autonomia, a Stellantis anuncia 275 quilómetros em ciclo WLTP, uma velocidade máxima limitada eletronicamente a 135 km/h e uma garantia da bateria de oito anos ou 160 mil quilómetros para 70% da sua capacidade.

Para recuperar a capacidade da bateria, os novos comerciais compactos da Stellantis oferecem várias possibilidades de carregamento. Num ponto monofásico de 7,4 kW, a bateria de 50 kWh volta a disponibilizar a carga completa em 7h30. O tempo dessa operação pode diminuir para 5h00 num ponto de carregamento trifásico de 11 kW. Uma outra alternativa consiste na carga rápida, sendo possível recuperar até 80% da capacidade de carga em cerca de 30 minutos.

Três modos condução

A Stellantis garante que a agradabilidade de condução também é um dos fortes argumentos dos novos furgões elétricos compactos, que receberam soluções tecnológicas introduzidas na gama de comerciais elétricos médios. Assim, o Peugeot e-Partner, Citroën ë-Berlingo e Opel / Vauxhall Combo-e oferecem três modos de condução: Eco, com potência limitada a 60 kW / 190 Nm para otimizar a autonomia; Normal, com 80 kW / 210 Nm, para utilização em condições normais; Power, com 100 kW / 260 Nm, que ajusta a performance com cargas mais elevadas). 

Opel Combo-e Life

Para otimizar a autonomia em ambiente urbano está ainda disponível um modo de condução B, que aproveita ao máximo a energia do sistema de regeneração nas desacelerações e nas travagens para ganhar alguns quilómetros adicionais, além de proteger as pastilhas de travão.

LEIA TAMBÉM
Grupo PSA. Eletrificação chega aos comerciais compactos em 2021

A Stellantis aproveitou o lançamento das versões elétricas dos furgões compactos para introduzir um novo painel de instrumentos digital, que fornece informações acerca do fluxo de energia, da monitorização do carregamento (atual ou diferido) e do computador de bordo, incluindo a autonomia. O conta-rotações tradicional foi substituído por um Powermeter, que oferece informação acerca da performance da linha motriz elétrica: Charge, Normal e Power.

A parte superior da consola central pode receber um novo ecrã tátil de 8” com menú elétrico, incluindo definições de carregamento, fluxos ou estatísticas.

Citroën ë-Berlingo

Para apoiar a condução estão disponíveis 18 sistemas de assistência, destacando-se o alerta de manutenção na faixa de rodagem com correção de trajetória, alerta de ângulo morto, alerta de risco de colisão, travagem de segurança ativa, assistente de arranque em subida, travão de estacionamento elétrico, acesso sem chave, assistente inteligente de máximos, entre outros.

Impressões dinâmicas

Na zona de Rüsselsheim, na Alemanha, os membros do júri do International Van of the Year, organização onde está representada a TURBO Comerciais, tiveram a oportunidade de tomar um primeiro contacto dinâmico com os novos comerciais elétricos compactos das marcas da Stellantis. O habitáculo poucas alterações apresenta face às versões de combustão interna com travão de estacionamento elétrico e caixa de velocidades automática. Para iniciar a condução basta mover o e-Toggle para a posição D e, para otimizar a autonomia, carregar no botão do modo de condução B. 

Peugeot e-Partner

Como é habitual nos veículos elétricos, a disponibilidade de binário no arranque contribui para uma rápida aceleração, enquanto o sistema de travagem / regeneração contribui para ganhar alguns quilómetros nas desacelerações e nas travagens. 

Os novos Peugeot e-Partner, Citroën ë-Berlingo e Opel Combo-e já começaram a ser produzidos na fábrica de Vigo, em Espanha, e as primeiras unidades deverão chegar aos concessionários até final do ano.