Publicidade

À espera dos 30. Qashqai eleva fasquia a sonhar com coroa perdida

Texto: Francisco Cruz
Data: 7 de Junho, 2024

Outrora rei do segmento, o Nissan Qashqai viu-se ultrapassado, nos últimos anos, por muitos dos rivais, que o obrigaram, agora, a mais uma atualização, centrada no design, materiais e  tecnologias. Ainda assim, não mais que um assomo, na estratégia de transformação prevista pelo construtor e que, entre outras novidades, resultará no lançamento de 30 novos carros, até 2026!

Peça importante na mais recente estratégia de eletrificação delineada pela Nissan, intitulada “The Arc”, e cujo objectivo último passa por tornar a marca nipónica exclusivamente elétrica até 2030, o Qashqai é, contudo, apenas uma das ferramentas com o que o construtor procura recuperar muito, não só do tempo perdido, como de apostas menos conseguidas.

Assim e num horizonte global e tendencialmente cada vez mais elétrico que vai até 2026, estão, como a própria marca faz questão de anunciar, não apenas 16 novas propostas electrificadas e 14 a combustão, como o abarcar de mais segmentos, alguns deles, novidade para o construtor. 

Vice-presidente para o Marketing e Vendas na Nissan Europa, Mayra Andrade foi a responsável por apresentar a estratégia de transformação que a marca nipónica se encontra a implementar, até 2030. Foto: Nissan
Vice-presidente para o Marketing e Vendas na Nissan Europa, Mayra Andrade foi a responsável por apresentar a estratégia de transformação que a marca nipónica se encontra a implementar, até 2030. Foto: Nissan

Quanto à distribuição geográfica, será a Europa a receber a maior parte das novidades eletrificadas, das quais cerca de 40% serão veículos elétricos (EV) de passageiros, com os quais virão igualmente  novas tecnologias, como é o caso da próxima geração e-Power. Ainda que e sobre a qual, os responsáveis da Nissan pouco queiram, para já, avançar.

LEIA TAMBÉM
Já tem preço. Nissan Qashqai e-Power recebe série especial Black Edition

Apontando como meta, para o período até 2026, um crescimento nas vendas mundiais na ordem das 300 mil unidades, face a 2023, a Nissan não deixa, contudo, de fazer previsões ainda mais optimistas, no que aos modelos equipados com a próxima tecnologia e-Power diz respeito. Vaticinando uma subida no número de veículos vendidos na ordem dos 500 mil, também face a 2023, graças, desde logo, às conquistas tecnológicas que o sistema trará: 20% mais de potência, 10% mais de eficiência na combustão e menos 20% nos custos associados. Tudo isto, a somar a uma não menos desejada paridade nos custos, face às versões estritamente a combustão.

Baterias mais rápidas e com maior densidade

Aliás e também a contribuir para este último objectivo, as expectativas de evolução no que à tecnologia das baterias diz respeito, com a Nissan a vaticinar, para as baterias de iões de lítio, um aumento de 50%, tanto na densidade, como na velocidade de carregamento. E, isto, na sequência de um processo que começou em 2018 e que está, neste momento, na fase de arranque das operações de produção piloto. Sendo que, até  2026, o objectivo é ter protótipos equipados com as novas baterias já a rolar nas estradas do dia-a-dia, de forma a que, em 2028, as novas baterias possam ser lançadas no mercado, a impulsionar novos EVs.

A Nissan aposta numa evolução das baterias, como forma de afirmação dos elétricos. Foto: Turbo
A Nissan aposta numa evolução das baterias, como forma de afirmação dos elétricos. Foto: Turbo

Ao mesmo tempo e porque se trata de uma estratégia holística, ou seja, que não se resume apenas e só a um automóvel, mas envolve todo o ecossistema, a intenção de avançar com a oferta de tarifas de energia específicas e adequadas ao consumidor, a começar pelos mercados do Reino Unido, Alemanha, França e países nórdicos, onde a Nissan pretende começar igualmente a vender painéis solares, disponibilizar soluções de carregamento bi-direccionais e de conexão do veículo com tudo ao seu redor (V2X), além de sistemas de gestão de energia doméstica com recurso a Inteligência Artificial e de armazenamento de energia em residências e edifícios comerciais.

Silence é nova parceira

Aliás e como primeiro passo para esta diversificação, a parceria celebrada com o fornecedor de mobilidade elétrica Silence, em resultado da qual a Nissan se prepara para entrar no mercado da micro-mobilidade. Vendendo, através da sua rede europeia, motociclos e micro-carros elétricos, como o Silence Nano S04.

A justificar esta aposta, a confiança da marca nipónica de que este tipo de propostas será o ideal para as gerações mais jovens, ainda sem carta de condução de veículos ligeiros de passageiros, também porque, grande parte destes veículos zero emissões, podem ser conduzidos com uma simples licença para ciclomotores até 50cc. 

O Silence Nano S04, com bateria amovível, é um dos argumentos da nova parceria Nissan - Silence. Foto: Silence
O Silence Nano S04, com bateria amovível, é um dos argumentos da nova parceria Nissan – Silence. Foto: Silence

Com a entrada neste novo segmento de negócio, a Nissan espera tornar-se um player mais abrangente, capaz de abarcar uma maior e nova clientela, à qual oferecerá, depois, novos serviços pós-venda.

E quanto à renovação do Qashqai…

Com todas estas novidades e, ainda por cima, sem o esperado anúncio dos preços e data de chegada aos mercados como Portugal, é caso para dizer que as novidades, no que ao Qashqai diz respeito, acabaram sendo por pouco mais que mínimas.

Especialmente depois de já termos estado no primeiro (e verdadeiro) desvendar desta nova atualização, a verdade é que pouco mais havia a descobrir, por exemplo, quanto ao aspecto exterior do renovado SUV nipónico, onde as maiores novidades se centram na nova e bem mais atraente grelha frontal, nas novas ópticas e iluminação diurna tipo vírgula, além dos farolins de novo design interior, a replicar as “vírgulas” de luz que também se destacam da dianteira. Tudo isto, complementado com novas jantes de 18” e corte diamantado, além das de 20”, opcionais.

O renovado Nissan Qashqai sob sol algarvio. Foto: Turbo
O renovado Nissan Qashqai sob sol algarvio. Foto: Turbo

Procurando afirmar uma imagem de maior qualidade e sofisticação, o SUV nipónico viu igualmente renovado o ambiente a bordo, não só através da adopção de novos materiais de qualidade superior, como também de uma maior atenção ao detalhe, com nova iluminação ambiente com 64 opções de cores (versões N-Connecta, N-Design e superiores), além de um compêndio de tecnologia todo ele melhorado – integração de sistema de visualização em redor do automóvel (Around View Monitor) agora com recurso a oito câmaras, função de capot invisível que permite observar no mesmo monitor central aquilo que está à frente do carro e fora da visão do condutor, e Memória de Localização de Lugar de Estacionamento, assim como de lugares de passagem frequente com visibilidade limitada. Cuja localização fica armazenada na memória GPS, sendo projectados automaticamente no ecrã, sempre que o veículo para lá se dirija.

Já no capítulo do infoentretenimento, o Qashqai passa a ser o primeiro Nissan comercializado na Europa com Google integrado no sistema NissanConnect, além de dispor de Google Maps com registo de conta pessoal (a partir daí, os utilizadores passam a poder aceder aos locais e pontos de interesse favoritos), Google Assistant com interacção por voz, Google Play, o sistema Alexa da Amazon e atualizações Over-The-Air (OTA). Sendo que, graças ao atualizado NissanConnect, o SUV também já consegue informar o proprietário de esquecimentos como uma janela semi-aberta ou até mesmo de um possível roubo ou reboque do veículo.

O renovado Nissan Qashqai passa a contar com uma série de mais-valias no infoentretenimento, fornecidas pela Google
O renovado Nissan Qashqai passa a contar com uma série de mais-valias no infoentretenimento, fornecidas pela Google

Condução descontraída

Depois e sem qualquer tipo de alteração na mecânica, incluindo o bem conhecido sistema híbrido série e-Power, a confirmação, já ao volante desta mesma versão a anunciar 190 cv de potência, sem caixa de velocidades ou necessidades de carregamento externo da bateria de 1.8 kWh (para isso, está lá o três cilindros a gasolina, que nunca atua sobre as rodas e funciona apenas como gerador), não apenas do aumento da sensação de bem estar a bordo, como também e a partir de uma posição de condução assumidamente mais alta, um desempenho globalmente convincente. E que surge marcado não apenas por uma agora ainda melhor insonorização, como também pelo bom nível de conforto e versatilidade na utilização, que se pede descontraída.

A justificar tal ideia, a forma bem mais presente como o motor a combustão se faz ouvir, a partir do momento em que optamos por fazer subir as rotações, sem que isso signifique, por outro lado, uma real correspondência nas prestações; ou, pelo menos, não tanto quanto nos consumos! 

Sem alterações na base rolante ou no trem de força, o Nissan Qahsqai mantém-se uma proposta agradável de conduzir e versátil na utilização
Sem alterações na base rolante ou no trem de força, o Nissan Qahsqai mantém-se uma proposta agradável de conduzir e versátil na utilização

Aliás e mesmo depois de termos cumprido mais de uma centena de quilómetros por um longo e encadeado percurso pela serra algarvia, todo ele feito dessa forma mais descontraída, ainda que experimentando, tanto os vários modos de condução (Normal, Sport e Eco), como o óptimo desempenho do e-Pedal, a constatação, na chegada ao destino, de uma média de consumo, no computador de bordo, de 7,6 l/100 km. Valor que, convenhamos, não será propriamente positivo.

Ainda assim, ficou a vontade de dar uma segunda oportunidade ao outrora “Rei do SUV e Crossovers”, através da realização de um ensaio bem mais sustentado e, quiçá, por trajectos mais consentâneos com aquela que será a sua utilização-tipo, ao longo dos anos. E, então, certamente, com as médias já bem mais amaciadas pelo conhecimento dos preços e prazos de entrega, que continuam por divulgar…