Publicidade

Já o conduzimos. Nissan Qashqai e-Power chega em setembro e já tem preços

Texto: Ricardo Machado
Data: 14 de Julho, 2022

O Nissan Qashqai e-Power conduz-se como um automóvel elétrico, mas no seu coração trabalha um motor a gasolina. Confuso? A Nissan, que prevê entregar as primeiras unidades do modelo, em Portugal, a partir de setembro, explica por que esta solução é melhor que um híbrido com bateria recarregável.

A solução é simples: a maioria dos compradores de veículos PHEV não recarrega a bateria. O que representa um lastro superior a uma centena de quilos. Carregar material desnecessário traduz-se em consumos muito superiores aos valores anunciados para os primeiros 100 km. Quando a bateria garante 50 km de emissões zero.

Pormenor da grelha dianteira do Nissan Qashqai e-Power
O Nissan Qashqai e-Power, cujas primeiras unidades deverão chegar a Portugal em setembro, distingue-se pelo acabamento lacado da grelha dianteira

Para resolver este problema, a Nissan reduz significativamente o peso da bateria. Com apenas 2,1 kWh, a bateria do Qashqai e-Power pesa uma fração das soluções utilizadas nos veículos PHEV. Naturalmente tem uma fração da autonomia daqueles modelos.

Aquilo que para uns poderia ser um problema, para a Nissan é uma solução. Utilizando um motor térmico como gerador, o Qashqai e-Power tem sempre energia para o motor elétrico de 190 cv. E, por trabalhar num regime estacionário, o bloco 1.5 de três cilindros, turbo, com taxa de compressão variável e 156 cv, consegue consumos moderados.

Condução de automóvel elétrico

Nada que se compare com os primeiros 100 km das soluções PHEV. No entanto, como a média de 5,3 l/100 km é constante independentemente da capacidade da bateria, no cômputo final é mais realista e eficiente. Para a Nissan, o mais importante nem é tanto a média, mas antes a experiência de condução.

Imagem do interior do Nissan Qashqai é Power
O interior do Qashqai e-Power é igual ao dos restantes Nissan Qashqai

A vantagem do Qashqai e-Power reside na progressividade e refinamento caraterísticos dos motores elétricos. O motor térmico está quase sempre ligado, mas como ajusta o regime às necessidades do momento mal se dá por ele.

Está por cima do eixo dianteiro como em todos os Nissan Qashqai, mas só se faz ouvir (e sentir) quando se esmaga o acelerador. Na condução do dia-a-dia comporta-se como um automóvel 100% elétrico o qual, acredita a Nissan, será a evolução natural do condutor do Qashqai e-Power.

Rápido e poupado

Sem atraso na entrega dos 330 Nm de binário, o e-Power torna-se no Qashqai mais rápido a acelerar até aos 100 km/h. Não baixa dos 7,9 segundos, nem tal se espera de um crossover com forte vocação familiar.

Para simplificar ainda mais as voltas em cidade, o Qashqai e-Power pode ser conduzido apenas com o pedal do acelerador. No modo mais intenso, a função e-Pedal Step produz uma desaceleração de 0,2g sempre que se alivia o acelerador. Não chega a imobilizar o Qashqai, mas acende as luzes de travagem.

Pormenor do seletor da caixa de velocidades do Nissan Qashqai e-Power
O Nissan Qashqai e-Power tem e-Pedal como o Leaf

Terminado o percurso da apresentação, com cerca de 100 km e velocidade máxima inferior a 70 km/h, a média final foi de 4,7 l/100 km. Melhor que o anunciado, mas muito longe das condições de utilização normais. Destaque para o funcionamento quase impercetível do motor térmico.

O novo Nissan Qashqai e-Power já pode ser encomendado, com preços desde os 42 800 €. As primeiras unidades devem ser entregues durante o mês de setembro.