Mobieco

Publicidade

É a corrida das tecnológicas! Huawei vai investir mil milhões nos EV

Texto: Redação
Data: 13 de Abril, 2021

Conhecida mundialmente como um dos maiores fabricantes de smartphones, a chinesa Huawei anunciou já a ambição de tornar-se um player relevante, também no sector automóvel. Ofensiva que começará pelos veículos elétricos (EV) e autónomos, com um investimento inicial de mil milhões de dólares, qualquer coisa como 840 milhões de euros.

Esta verba, revela também a Huawei, será investigada, basicamente, na investigação, no domínio do Veículo Elétrico (EV) e das tecnologias de Condução Autónoma. Algo que a tecnológica, anuncia agora, fará em conjunto com alguns grupos automóveis chineses como o BAIC Group, Chongqing Changan Automobile Co. e o Guangzhou Automobile Group Co.

A decisão agora divulgada vem, de resto, colocar a Huawei numa posição de concorrência directa com outro gigante tecnológico chinês, a Xiaomi, a qual também anunciou, recentemente, a intenção de entrar na produção de EVs, durante a próxima década. Sendo que, destinado a esta nova operação, a Xiaomi tem já previstos 10 mil milhões de dólares – pouco mais de 8,4 mil milhões de euros.

O primeiro EV com o logótipo da Huawei

“A unidade de negócios de carros inteligentes vai receber uma das parcelas de investimento mais altos, dentro da Huawei”, anunciou, já, o presidente rotativo da companhia, Eric Xu, a analistas, acrescentando que “Investiremos mais de um bilião de dólares americanos no desenvolvimento de componentes automóveis, ainda este ano”.

LEIA TAMBÉM
Ainda para 2021. Maior fabricante mundial de telemóveis Huawei prepara EV

Xu recordou que, só a China, “vê entrar, todos os anos, 30 milhões de carros novos. Número que, de resto, continua a crescer. Pelo que, mesmo que decidamos não sair para fora das fronteiras da China, se conseguirmos ganhar uma média de 10.000 yuans [perto de 1.300 euros] em cada carro vendido no mercado chinês, já será um grande negócio para a Huawei.”

Segundo avança o Yahoo Finance, a Huawei viveu um ano de 2020 particularmente difícil, com a expulsão (política) do mercado norte-americano, a qual veio prejudicar fortemente o seu então florescente negócio de venda de smartphones.

De resto e fruto desta situação, Ren Zhengfei, o fundador da Huawei, começou a direccionar a companhia para outras áreas de negócio, desde a agricultura inteligentes, até à Saúde e aos veículos elétricos.

Aliás, o atual presidente veio já afirmar o seu contentamento com os avanços conseguidos pela companhia, nomeadamente, nas tecnologias com vista à condução autónoma, as quais, garantiu, são melhores que as da norte-americana Tesla.

“Não sei se estavam apenas a gabar-se, mas, segundo fui informado pela minha equipa, os nossos carros conseguem cumprir um total de 1.000 quilómetros, sem qualquer intervenção humana. Ora, isso é muito melhor do que faz a Tesla”, comentou, em declarações aos jornalistas, Eric Xu.