Publicidade

Objectivo é “florescer”. Mate Rimac promete futuro risonho para a Bugatti

Texto: Francisco Cruz
Data: 8 de Junho, 2022

Hoje em dia numa nova fase da sua existência, a Bugatti deverá florescer nos próximos anos, fruto, também, da eletrificação, sem que isso signifique abdicar dos motores de combustão. A garantia é do novo responsável máximo da marca desportiva da hiper-luxo francesa, mas também fundador da Rimac Automobili, Mate Rimac.

Falando à publicação britânica Autocar, Mate Rimac aceitou comentar a atual realidade da Bugatti, não deixando de revelar aqueles que são os planos para o fabricante automóvel de Molsheim. Os quais passam, desde logo, por uma redução nos custos de produção, nomeadamente, através da adopção da eletrificação, como forma de tornar a marca ainda mais relevante no panorama automobilístico mundial.

“Numa abordagem carro a carro, a verdade é que a Bugatti tem um enorme sucesso”, comentou o também fundador da Rimac Automobili, assumindo, mesmo, que, “as pessoas ficariam surpreendidas se soubessem o quão lucrativo cada Chiron é; eu, pelo menos, fiquei!”.

Mate Rimac, o novo homem-forte da Bugatti... e da Rimac
Mate Rimac, o novo homem-forte da Bugatti… e da Rimac

No entanto e ainda segundo Mate Rimac, a contrapor todo este lucro, surge o facto da marca francesa ter gasto quantias exorbitantes de dinheiro no desenvolvimento de novos modelos. Em grande parte, porque decidiu entregar muito do trabalho a empresas terceiras.

“A realidade é que a custou mais à Bugatti criar o Chiron, modelo desenvolvido a partir do Veyron e que tem, inclusivamente, o mesmo motor W16 e caixa de oito velocidades, do que nos custou a nós [Rimac] criar o nosso Rimac Nevera, modelo feito a partir do zero”, revelou o empresário.

LEIA TAMBÉM
Com combustão… eletrificada. Mate Rimac garante que Bugatti continuará única

Assim e embora tendo já garantido que a Bugatti continuará a vender carros com motores de combustão “durante mais algum tempo”, Mate Rimac também já revelou que, esses mesmos motores, serão “fortemente eletrificados”. Sendo que e apesar de muito ser ainda desconhecido, tudo aponta para que o sucessor do Chiron esteja já em desenvolvimento.

Ainda quanto à decisão do Grupo Volkswagen de colocar a marca francesa sob o mando da Rimac Automobili, o croata diz ver o caso como “uma situação em que todos ganham”.

Mate Rimac quer reduzir os custos de produção da Bugatti, mantendo-a hiper-exclusiva
Mate Rimac quer reduzir os custos de produção da Bugatti, mantendo-a hiper-exclusiva

“Trata-se de uma vitória para nós, Rimac Automobili, por podermos ter nas mãos uma marca maravilhosa com 113 anos de tradição. É uma vitória para a Volkswagen, porque a Bugatti tem um grande futuro, eles têm uma participação accionista e nós pretendemos manter os custos sob controle. É uma vitória para os funcionários, porque a nossa intenção é fazer a marca crescer. E é uma vitória para os clientes, porque temos novos produtos interessantes a chegar. De resto, nós não queremos apenas continuar a subsistir; queremos florescer.”, conclui Mate Rimac.