Publicidade

Objectivo recorde. Bentley mostra versão final do Continental GT3 Pikes Peak

Texto: Francisco Cruz
Data: 4 de Junho, 2021

Com o dia da corrida – 27 de junho – a aproximar-se a passos largos, a Bentley mostra a versão final do seu Continental GT3 Pikes Peak, com o qual pretende arrebatar mais um recorde de subida à famosa rampa norte-americana com o mesmo nome. Desta feita, impulsionada por bio-combustível.

Depois da apresentação da versão inicial do Continental GT3 Pikes Peak, a Bentley desvenda, agora, o carro, já com as “vestes” finais, com que se prepara para atacar a prova norte-americana.

Com o momento decisivo agendado para 27 de junho, o novo carro de competição da marca britânica cumpriu já três sessões de treino dinâmicas, utilizando o bio-combustível com que avançará, este ano, para Pikes Peak. E que, defende a Bentley, consegue garantir uma redução de até 85% nas emissões de gases de efeito de estufa.

Recordar que o Bentley Continental GT3 Pikes Peak recorre a uma versão trabalhada do V8 4.0 litros biturbo, a debitar 760 cv de potência e 1000 Nm de binário, ao nível do mar. Sendo que o fabricante garante que o bloco tornar-se-á ainda mais potente, para o momento da corrida.

LEIA TAMBÉM
Bentley de regresso a Pikes Peak impulsionada por bio-combustíveis

Quanto às alterações operadas no bloco V8, a marca britânica revela que foram introduzidos novos pistons e bielas, além um novo colector de admissão em fibra de carbono reforçado, de forma a poder funcionar com uma pressão de alimentação mais elevada.

A par disto, também os colectores de escape passam a ser unidades Akrapovic feitas à medidas, através da impressão em 3D, permitindo a utilização de um conjunto de turbocompressores maiores e com wastegastes externos. O próprio sistema de escape é, também, muito curto, com as saídas a ficarem logo após as rodas dianteiras.

A Bentley também instalou um sistema de arrefecimento secundário, na parte traseira do escape, com entradas de ar a substituírem os vidros traseiros, canalizando, assim, o ar através de um radiador. E que depois sai por condutas na tampa da bagageira.

Quanto à transmissão, é uma solução tradicional de competição, desenvolvida pela Bentley, embora rodando num lubrificante especialmente elaborado, sendo que, o eixo de transmissão traseiro, é agora mais grosso, para maior resistência e duração.

Igualmente ajustado, em função do traçado de Pikes Peak, foi o chassis, o qual passa a apresentar uma curvatura negativa significativamente mais reduzida em ambos os eixos, além de com molas mais macias e barras estabilizadoras para permitir maior movimento da carroçaria. Maximizando a transferência de peso, para melhor travagem. Esta última, garantida através de travões refrigerados a água, para lidar com as condições existentes em Pikes Peak.

Finalmente, novidades, também, na aerodinâmica, graças à qual o Continental GT3 Pikes Peak passa a gerar, graças ao novo kit aerodinâmico, mais 30 por cento de downforce ao nível do mar, sem afectar o equilíbrio aerodinâmico dianteiro/traseiro.

Na traseira, a maior asa traseira já instalada num Bentley, surge associada a um difusor não menos impressionante, embora com o equilíbrio salvaguardado também graças ao impressionante pacote aerodinâmico da frente.

O novo Bentley Continental GT3 Pikes Peak apresentar-se-á à partida, no dia 27 de junho, com a decoração preta e dourada da Roger Clark Motorsport e com o já três vezes campeão de Pikes Peak, Rhys Millen, ao volante.

Recorde-se que a Bentley quer fixar um novo recorde na rampa norte-americana, como forma de garantir a ‘Triple Crown’ de Pikes Peak. Isto, depois de já ter fixado, com o Bentayga W12, o recorde para o SUV de produção mais rápido em Pikes Peak, e, com o Continental GT W12, o recorde de automóvel de produção mais rápido a subir a montanha.