Automóveis clássicos

Continuará o Automóvel a ser o mesmo para os portugueses?

Texto: Redação
Data: 16 Janeiro, 2020

Numa altura em que a Sociedade parece transitar para outras formas de relacionamento com o Automóvel, mais… desprendidas, um estudo hoje divulgado revela que 76% dos portugueses continua a afirmar ter uma forte ligação ao seu automóvel. Tendência oposta ao que se passa nos restos dos países da Europa?

As conclusões são da edição 2020 do Observador Cetelem Automóvel, o qual vem concluir que, apesar do crescimento de novos modelos de negócio, como o car-sharing ou até mesmo o carpooling, os automóveis continuam, hoje em dia, tão populares como eram no passado.

Segundo este estudo, oito em cada 10 inquiridos, residentes em 15 países, afirmou ter uma forte ligação à sua viatura. Surgindo os italianos, polacos e espanhóis, como os mais entusiasmados.

Já os belgas e chineses, com sete opiniões favoráveis em dez, são aqueles que menor fervor demonstram.

De regresso ao caso português e falando em termos de percentagens, 24% diz não sentir qualquer tipo de ligação ao Automóvel e 20% garante ter pouca.

Comprar Carro 2002
Apesar do crescimento de outras formas de relacionamento com o Automóvel, a maioria dos portugueses continuam a demonstrar uma forte ligação ao seu carro

China com poucos proprietários e em queda nas vendas

De resto e embora com a taxa de motorização a crescer nos países analisados, registados ficam também os primeiros sinais de declínio do Automóvel nos grandes centros urbanos no Ocidente, ao passo que, na China, são as próprias vendas que estão em queda.

Aliás, a China faz igualmente parte do lote de países onde a propriedade do Automóvel é mais baixa, com um total de 118 veículos por 1000 habitantes, logo seguida da África do Sul, com 176 automóveis por 1000 habitantes, e da Turquia, com 195 viaturas por 1000 habitantes. Já no país-irmão Brasil, o rácio é de 206 veículos por 1000 habitantes.

No plano oposto, surgem os EUA, que, com um volume de carros per capita de 821 veículos por cada 1000 habitantes, lideram este ranking, ao passo que, Portugal, regista um score de 611 automóveis, por cada 1000 habitantes.

Automóvel ainda meio de transporte essencial para portugueses

Embora ainda distante dos números dos EUA, a verdade é que, segundo o Observador Cetelem, o Automóvel continua sendo visto como um bem essencial nas deslocações, além de um objeto aspiracional.

Com um total de 821 automóveis por cada 1000 habitantes, os EUA são o país, de entre os 15 analisados, com maior taxa de proprietários

Segundo esta sondagem, que decorreu nos meses de Agosto e Setembro, abarcando um total de 10 000 indivíduos, com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos, oriundos de 15 países (só em Portugal, foram realizadas um total de 500 entrevistas), 42% dos portugueses entrevistados, encara o Automóvel, acima de tudo, como um meio de transporte. Com esta ideia a vingar, principalmente, nas zonas rurais (47%) e entre as gerações mais velhas (44%), assim como entre a classe média (52%).

Mas se, para estes inquiridos, o Automóvel é encarado apenas como um meio de transporte, 25% dos entrevistados nacionais assume ver este bem como um objeto aspiracional e um meio de liberdade incomparável. Opinião partilhada independentemente da geração, em particular, nos espanhóis (40%) e alemães (31%).

Carro como fonte de prazer, está a desaparecer

Finalmente e quanto às razões que levam, hoje em dia, os inquiridos a quererem ser proprietários de um automóvel, saliente-se a resposta dada por 22% de americanos e sul-africanos, os quais continuam a encarar os automóveis como um prazer em si mesmo, que não deve ser evitado. Já entre os entrevistados portugueses, apenas 5% concorda com esta ideia.

Realce ainda para o facto de, no caso dos inquiridos nacionais, 13%, o terceiro maior grupo, encarar o Automóvel como “uma restrição económica – um luxo que é cada vez mais difícil de pagar”. Enquanto 4% entende esta propriedade como algo “cada vez mais complicado, dadas as restrições de tráfego”. Já 3%, vê-a como algo de “desrespeitoso e perigoso para o Meio Ambiente”.

O orgulho no automóvel, enquanto objeto aspiracional, é algo que 25% dos portugueses ainda assume possuir

Já para 9% do total de inquiridos nos 16 países onde foi realizada esta edição 2020 do Observador Cetelem, a propriedade do Automóvel é cada vez menos útil, face ao crescente número de ofertas de transporte – transporte colectivo, carsharing, carpooling, etc…  

Fonte: Observador Cetelem Automóvel 2020