Aston Martin ‘made in China’?

Texto: Filipe Bragança
Data: 11 Janeiro, 2020

O Fiancial Times avança que o um dos gigantes da China, a Geely, está neste momento em conversações com a Aston Martin, discutindo uma possível participação na marca.

Em 1986, quando a Geely se lançou no mercado chinês como uma pequena fabricante de frigoríficos, poucos adivinhariam que três décadas depois, esta seria uma das maiores construtoras de automóveis da China e do mundo. Depois de ter adquirido a Volvo e a Lotus, e até uma parte da Smart, um investimento na Aston Martin pode estar iminente.

Dono da Racing Point na equação

De acordo com o Financial Times, a Geely já recebeu uma proposta de outro interessado de peso. O bilionário Lawrence Stroll, dono da equipa de F1 Racing Point e pai do piloto Lance Stroll, propõe uma participação de 19,9% em troca de 200 milhões de libras (234 milhões de euros).

Num anúncio feito no inicio da semana, o CEO da Aston Martin, Andy Palmer, mostrou-se desagradado pelo recuo de 7% nas vendas da marca, tendo definido 2019 como “um ano decepcionante”.

Andy Palmer revelou ainda que a marca está a procura de novos parceiros que possam ajudar a reverter esta situação, o que dá ainda mais força a esta relação entre a Aston Martin e a construtora da China. Ao mesmo tempo, Palmer acredita que o novo Aston Martin DBX possa ser uma lufada de ar fresco, depositando muita esperança naquele que é o primeiro SUV da história da marca britânica.

Fonte: Financial Times / Autocar