Publicidade

Volkswagen. Vendas diminuíram em 2021, mas melhorou eficiência e rendibilidade

Texto: Carlos Moura
Data: 16 de Março, 2022

A Volkswagen anunciou uma melhoria na eficiência operacional e na rendibilidade, não obstante a diminuição nas vendas em 2021. O plano Accelerate continua a ser implementado para transformar a Volkswagen numa empresa de cariz tecnológico. 

Um ano após a apresentação da estratégia Accelerate, a Volkswagen anuncia ter feito avanços significativos para se tornar numa empresa competitiva. 2021 ficará assinalado por marcos importantes em áreas como a mobilidade elétrica, a digitalização e novos modelos de negócio.

Ao mesmo tempo, a Volkswagen conseguiu melhorar a sua eficiência num ambiente marcado cada vez mais pela competitividade. A marca alemã alcançou uma melhoria no volume de vendas, nas margens e nos resultados operacionais no último ano fiscal, apesar de uma diminuição das vendas de oito por cento, para 4,9 milhões de unidades, em comparação com 2020. 

Volkswagen Arteon Shooting Brake Elegance na linha de montagem da fábrica de Osnabrück

“2021 foi um ano extraordinário. Num ambiente extremamente exigente não só conseguimos prosseguir as nossas operações, como também melhoramos a nossa eficiência”, comenta Ralf Brandstätter, CEO da Volkswagen. 

“Atualmente, a empresa é mais rentável, mais resiliente às crises e mais eficiente do que há um ano atrás. Ao mesmo tempo aumentamos o ritmo para a transformação numa empresa tecnológica com a estratégia Accelerate”, adiantou o CEO da Volkswagen.

O responsável adiantou que ainda não é possível prever a evolução da empresa nos tempos mais próximos devido à guerra na Ucrânia, ao impacto nas cadeias de abastecimento e na economia global. Mas estabelecemos uma base segura em 2021 para, também, enfrentar esta crise,” acrescenta Ralf Brandstätter.

Eletrificação acelera

Em termos de resultados, a Volkswagen anuncia um aumento do volume de negócios de sete por cento para 76,1 mil milhões de euros, não obstante a já referida quebra nas vendas de oito por cento. Os resultados operacionais também melhoraram de 2,0 mil milhões de euros para 2,5 mil milhões de euros.  

Os custos fixos diminuíram em mais de mil milhões de euros para valores de 2019, abaixo do início da crise do COVID-19. A Volkswagen anunciou que, entretanto, continuou a investir na pesquisa e desenvolvimento de soluções de mobilidade elétrica. Até 2026, a marca irá gastar 18 mil milhões de euros em mobilidade elétrica, hibridização e digitalização.

Volkswagen T-Roc Cabriolet R-Line Edition Blue na fábrica de Osnabrück

Com a estratégia Accelarete lançada no ano passado, a Volkswagen procura não só reforçar a sua competitividade, mas, também acelerar o ritmo da mobilidade elétrica e da digitalização.

No ano fiscal de 2021, a marca registou um crescimento de 73% nas vendas de veículos elétrificados para 369 mil unidades, incluindo 106 mil PHEV e 263 mil BEV. Em comparação com o ano anterior, a Volkswagen duplicou as vendas de elétricos a bateria, tendo lançado dois modelos na Europa – ID.3 e ID.4 – e o ID.6 na China. Já este ano foi apresentado o ID.Buzz, com encomendas a partir de maio e entregas no outono.

Trinity em 2026

A capacidade de produção também está a ser reforçada para responder ao aumento da procura. Após a conversão da fábrica de Zwickau para a produção de veículos elétricos, outras três fábricas – Emden, Hannover e Chattanoga – estão a ser preparadas para a produção de viaturas elétricas em 2022.

LEIA TAMBÉM
Sucessor do Passat? Volkswagen agenda apresentação do Aero B para 2023

A Volkswagen também já iniciou a transformação da fábrica de Wolfsburgohttps://www.turbo.pt/volkswagen-project-trinity/ para a produção do ID.3 em 2023, estando previsto um segundo modelo elétrico, o Trinity, para 2026. Este modelo irá ter uma autonomia superior a 700 quilómetros e um tempo de carregamento da bateria mais curto. Também já estará preparado para condução autónoma de nível 4.