Mobieco

Publicidade

Skoda. Octavia recebe o primeiro Mild-Hybrid na marca checa

Texto: Redação
Data: 17 de Setembro, 2020

Com uma nova geração já em comercialização, o Skoda Octavia prepara-se, agora, para cumprir mais uma estreia: a do primeiro motor Mild-Hybrid disponível num modelo da marca checa, onde assume a designação e-Tec. Solução que, no entanto e segundo a TURBO apurou, ainda não tem comercialização garantida em Portugal.

Já disponível nalguns mercados europeus, o novo Skoda Octavia equipado com motorização Mild-Hybrid tem por base o novo três cilindros 1.0 litros a debitar 110 cv de potência, ajudado por um sistema elétrico acessório de 48V, que vai buscar a energia a uma bateria de iões de lítio, recarregável com a energia cinética produzida na desaceleração e travagem.

Funcionando no apoio ao motor de combustão, este sistema Mild-Hybrid liberta o tricilíndrico da obrigatoriedade de fazer funcionar sistemas acessórios como a direcção assistida, além de permitir uma desaceleração prolongada com o motor térmico desligado.

LEIA TAMBÉM
Novo Škoda Octávia tem outro requinte

Proposto, única e exclusivamente, com caixa automática de sete velocidades, o Skoda Octavia Mild-Hybrid adopta aquela que será designação de todos os modelos da marca checa, com esta tecnologia: e-Tec.

Embora os dados oficiais ainda estejam por divulgar, as expectativas da Skoda são de que, ajudado pelo sistema Mild-Hybrid, o bloco de 1.0 litro possa fazer menos 0,4 l/km que o mesmo motor sem apoio elétrico, apurou a TURBO. Sendo que a marca checa fala mesmo na possibilidade de obter consumos em trajecto combinado de 4,3 l/100 km, com emissões de 117 g/km de CO2.

A justificar estas melhorias, a Skoda destaca ainda uma série de melhorias realizadas no motor, incluindo, um cárter em alumínio, um turbocompressor de alhetas variáveis, além de bielas perfeitamente equilibradas. O que permite, garante o fabricante, prescindir de um eixo de equilíbrio.

De salientar ainda que o motor funciona segundo o ciclo de injecção Miller, o que deverá permitir alcançar o máximo binário, 35% mais cedo que num motor convencional.

Apesar destas mais-valias, fonte do importador da marca checa para Portugal revelou, à TURBO, que a comercialização do Skoda Octavia e-Tec no nosso País, não está ainda decidida. Dependendo, entre outros factores, do preço final da versão.