Publicidade

Com blocos renovados. Futuro Porsche Panamera não prescindirá da combustão

Texto: Francisco Cruz
Data: 10 de Março, 2022

Mesmo com o seu único modelo elétrico – Taycan – a somar clientes todos os dias, a Porsche não admite, pelo menos nos tempos mais próximos, deixar cair os motores de combustão. A demonstrá-lo, o próximo Panamera,ainda em desenvolvimento, mas a confirmar desde já que o futuro será (também) a combustão.

Com lançamento previsto lá mais para o final de 2023, o próximo Panamera, internamente conhecido pelo número de código 972, anuncia-se, desde já, como uma suave evolução do modelo atual. Seguindo, desta forma, uma estratégia já habitual na Porsche e que, no caso deste modelo, pouco mais trará de novidades, do que algumas alterações de pormenor, na estética exterior.

No entanto e se, à vista desarmada, as alterações poderão exigir alguma atenção, já escondido dos olhares mais curiosos e, nomeadamente, debaixo do capot, estarão, certamente, novidades significativas. Com o novo Porsche Panamera a prometer, desde já e após seis anos de comercialização, uma renovação quase total dos motores de combustão.

O atual Porsche Panamera 971
O atual Porsche Panamera 971

Segundo avança a britânica Autocar, as alterações nestas motorizações passarão, desde logo, por uma revisão dos sistemas de exaustão, assim como do software, isto como forma de fazer com que o Panamera consiga corresponder à exigente regulamentação, em termos de emissões, da futura norma Euro 7.

Assim e a par da evolução dos hoje em dia já bem conhecidos V6 2,9 litros e V8 4,0 litros, ambos Twin-Turbo e ajudados por sistemas Mild Hybrid de 48V, o novo Porsche Panamera promete trazer, igualmente, um profundamente revisto sistema de propulsão híbrido plug-in, que a Porsche tem previsto disponibilizar igualmente no futuro Cayenne.

LEIA TAMBÉM
Já disponível. Porsche estreia o exclusivo Panamera Platinum Edition

Entretanto e embora, para já, os detalhes sobre estas novas motorizações sejam escassos, a mesma publicação avança, desde já, que os sucessores do 4 E-Hybrid, 4S E-Hybrid e Turbo S E-Hybrid receberão não apenas blocos a gasolina revistos, como também motores elétricos combinados com baterias de maior dimensão e software mais moderno, capaz de permitir taxas de carregamento mais rápidas. Além de uma autonomia exclusivamente elétrica que se espera que venha a ser maior do que os actuais 50 quilómetros anunciados pela atual geração E-Hybrid.

Ao mesmo tempo e embora nada seja ainda oficial, as informações já obtidas apontam, igualmente, para que todas as versões do Panamera venham a ostentar mais potência, a par de um sistema de modos de condução com funções revistas.

Uma história que começou em 2010…

A terminar, recordar, apenas, que o Porsche Panamera original, internamente conhecido pelo número de código 970, chegou ao mercado em 2010, tendo recebido o seu primeiro facelift em 2013.

O Porsche Panamera 1.ª geração
O Porsche Panamera 1.ª geração

Já a segunda geração, 971, foi introduzida em 2016, para, já em 2020, receber aquilo que é a tradicional atualização a meio do ciclo de vida. Isto, porque a Porsche planeou para o Panamera um ciclo de vida de seis a sete anos, com o habitual facelift a surgir três a quatro anos após a introdução.

Entretanto e se o calendário se mantiver, tal significará que o Porsche Panamera 972 será apresentado, muito provavelmente, durante o terceiro trimestre de 2023, seguindo-se a sua comercialização, ainda nesse mesmo ano.