jeep wrangler

Publicidade

Não por bons motivos. Jeep Wrangler surpreende nos testes de colisão do IIHS

Texto: Redação
Data: 8 de Maio, 2020

Sujeito aos testes de colisão pelo Insurance Institute for Highway Safety (IIHS) norte-americano, o novo Jeep Wrangler de quatro portas acabou surpreendendo, e não pelos melhores motivos. Desde logo, por, nas duas tentativas feitas pelo IIHS, não ter conseguido ficar sobre as quatro rodas.

Um vídeo da prestação do novo Jeep Wrangler nos testes de colisão do IIHS acaba de ser divulgado e os resultados não são, propriamente, animadores.

LEIA TAMBÉM
Jeep aposta nos 4×4 e híbridos

Nas duas tentativas realizadas de embate frontal a 3/4 contra uma barreira fixa, o Wrangler não só desfez a secção frontal, algo perfeitamente normal e compreensível, até como forma de suavizar o impacto, como acabou rolando sobre si próprio – algo que é a primeira vez que acontece, segundo o Insurance Institute for Highway Safety.

Apesar deste desempenho, o Wrangler garantiu uma pontuação acima daquilo que é o valor mínimo possível nos testes. Algo explicado pelo IIHS com o facto do modelo ter conseguido, mesmo capotando, “manter o cockpit do condutor protegido” e “os movimentos do boneco de testes controlados”.

Perigo acrescido para os ocupantes

Ainda assim, o organismo não deixou de notar que, a tendência para capotar, representa um risco acrescido de ferimentos, sendo que “um veículo capotar para o lado, não é uma reacção aceitável num embate frontal, pelo que a avaliação do Wrangler desceu para marginal”.

A IIHS recordou ainda que o capotar lateral é uma reacção especialmente perigosa, uma vez que pode resultar no ejectar dos ocupantes, do veículo. Algo particularmente preocupante, num modelo descapotável como é o caso do Wrangler.

Teste feito pela FCA teve resultado diferente

Importante é também recordar que o novo Jeep Wrangler começou por receber uma nota positiva da IIHS, na sequência de um primeiro teste de colisão, realizado pela Fiat Chrysler Automobiles (FCA). Até porque, nesse teste, o modelo não capotou.

No entanto, nos dois testes seguintes, realizados no Centro de Pesquisa do Instituto, os resultado foram bem diferentes, levando mesmo a FCA a levantar a hipótese, após o primeiro teste do IIHS, do Wrangler não estar bem conectado ao sistema de propulsão no piso, que impele o veículo.

Argumentação que levou a entidade norte-americana responsável pela segurança automóvel a fazer um segundo teste com o Wrangler, o qual terminou da mesma forma – com o modelo a capotar de lado.

Apesar destes resultados, a IIHS não deixou de salientar os bons resultados do redesenhado Wrangler noutros parâmetros, como é o caso do embate lateral.