Jeep Wrangler – Elegância Radical


Data: 14 Outubro, 2018

Vejam só quem está de volta: o mais radical dos Jeep mantém intacta a aparência que o celebrizou e acrescenta muita tecnologia e interiores mais sofisticados. O preço começa nos 51 mil euros.

 

O novo Wrangler conserva intacta a aparência “jipe” (se pedirmos a uma criança para desenhar um “jipe” o resultado não deixa dúvidas…) com rodas de grandes dimensões, cavas das rodas bem marcadas, pára-choques volumosos, pára-brisas vertical e aquela grelha inconfundível, o que o torna inconfundível, estando disponível com carroçaria de três portas (que pode receber a bem característica capota em lona agora de acionamento elétrico) ou a versão de chassis longo, com cinco portas.

A “colagem” às origens não se limita à aparência antes tem plena continuidade na robusta construção que, ao mesmo tempo que utiliza diversos painéis em alumínio, para reduzir o peso da estrutura, recebe significativos reforços para proteger zonas mais sensíveis, como painéis no piso e as “tradicionais” longarinas. Novidade importante no Wrangler é a utilização do motor de quatro cilindros turbodiesel, de 2,2 litros, com 200 cv e significativos 450 Nm de binário máximo. A oferta contempla, ainda, um novo bloco a gasolina de 2.0 litros, com injeção direta e filtro de partículas, que anuncia 272 cv. As duas motorizações estão associadas à nova caixa de velocidades automática com oito relações.

Para cumprir com a tradição, o Wrangler pode dispor de dois sistemas de tração integral: Command-Trac – nas versões Sport e Sahara – e Rock-Trac – de série na versão Rubicon, a mais robusta e de maiores capacidades para enfrentar as situações mais difíceis. Ambos os sistemas dispõem da nova caixa de transferência permanente de duas velocidades Selec-Trac que gere a distribuição do binário entre os eixos.

Ambos contam com caixa de transferência de duas velocidades, com “altas” e “baixas”, diferenciando-se, sobretudo pelas relações de transmissão. Em situações de aderência normais o arranque processa-se com tração unicamente traseira, situação que se repete quando rolamos em estrada. Porém, perante situações específicas o condutor pode optar pela tração integral (altas) engrenável em andamento até 72 km/h. Em opção e para situações especialmente exigentes, está disponível o diferencial autoblocante traseiro Trac-Loc, para as quais as versões Rubicon estão especialmente apetrechadas ao contarem com uma suspensão de maior curso e possibilidade de desligar a barra estabilizadora.

Além da importante evolução tecnológica, o Wrangler beneficia de uma completa revisão dos interiores que têm agora uma decoração mais “urbana” e, sobretudo, recorrem às tecnologias mais avançadas, nomeadamente ao nível da conectividade, com ecrãs táteis policromáticos que podem chegar às 8,4 polegadas e ligação aos sistemas  Apple Car Play e Android Auto. O novo Wrangler conta, também, com avançados sistemas de apoio à condução e segurança, com destaque para a monotorização de veículos no chamado angulo morto, aviso de aproximação perigosa de outros carros e câmara traseira

A nova geração do Jeep Wrangler já está disponível em Portugal a partir de 51 mil euros, com versões de duas ou quatro portas e três níveis de equipamento: Sport, Sahara e Rubicon.

Partilhar