Mobieco

Carros a hidrogénio e híbridos com preços similares, prevê a Toyota

Texto: Nuno Fatela
Data: 25 Maio, 2019

Será preciso esperar mais uma década e a chegada da terceira geração de células de combustível, mas a Toyota acredita que os carros a hidrogénio vão ter preços equivalentes aos dos híbridos

É normal ouvir várias previsões sobre o futuro, especialmente quando se trata de tecnologias ainda em fase muito inicial como os elétricos e FCV (fuel cell vehicles). Mas agora chegou uma antevisão aos preços dos carros a hidrogénio que deve ser tida bastante em conta. E o motivo é que se trata da Toyota, que é uma das pioneiras nesta tecnologia como foi nos híbridos em 1997 com o Prius, e que diz agora que estes dois tipos de motorizações podem ter preços similares dentro de uma década.

 

A afirmação foi proferida pelo chefe de marketing e vendas da Toyota na Europa, Matt Harrison. No Congresso da Automotive News Europe, este responsável explicou que “pela terceira geração [FCV] esperamos que os custos sejam similares aos dos híbridos”. Nesta altura a marca comercializa já o Mirai a hidrogénio na Europa por um preço de 60.000€, um valor ainda consideravelmente alto, mas que previsivelmente irá descer no futuro. E se foi confirmado que a segunda geração do Toyota Mirai “não está longe”, espera-se que a terceira geração apenas seja lançada dentro de uma década. Altura em que, afirma Matt Harrison, comprar um carro a hidrogénio e um carro híbrido terá um custo similar.

 

Para se perceber como a evolução das tecnologias (e aumento da produção) permitem reduzir os preços, este responsável da Toyota explicou que desde o lançamento do Prius o custo de produção dos híbridos caiu 75%. E com a promessa de que “a nossa próxima geração de híbridos será ainda mais barata”. Embora a Toyota não tenha revelado quais as formas como pretende reduzir os custos dos FCV, uma pista poderá ter sido dada pela Bosch. Recentemente o gigante germânico, que está também a apostar nos carros a hidrogénio, revelou que vai cortar o uso de um dos metais preciosos dos FCV, o platina, em cerca de 90%. E nessa altura a presença de platina nestas motorizações será já equivalente à que existe num híbrido.

 

Veja também:

Sabe como funciona um motor a hidrogénio?

Toyota aponta para a produção em massa de veículos FCV

Bosch corta uso da platina nas células de hidrogénio

Carro a hidrogénio avaliado com nota máxima do EuroNCAP

 

Fonte: Automotive News Europe