Publicidade

BMW X3. Quarta geração mantém diesel, mas perde versão elétrica

Texto: Carlos Moura
Data: 20 de Junho, 2024

A BMW revelou a quarta geração do SUV médio X3, que mantém a motorização diesel de 2,0 litros, mas perde a elétrica a bateria. A gama conta ainda com uma opção híbrida plug-in que até viu aumentar a sua autonomia em modo elétrico até aos 90 quilómetros.

O SUV de dimensões médias da BMW entra na sua quarta geração, apresentando um visual exterior e interior totalmente novo, um chassis revisto, mas deixa cair a versão elétrica a bateria, mantendo as motorizações a gasolina, híbrida plug-in e diesel.

O novo X3 deixa de ter uma uma versão elétrica a bateria porque está prevista a chegada de um novo modelo com este tipo de motorização, baseado numa arquitetura totalmente nova e com um design que foi deixado antever pelo protótipo radical Neue Klasse X

O novo BMW X3, que chega no final deste ano, ainda tem por base a plataforma CLAR de tração traseira. Contudo, o chassis foi profundamente revisto para proporcionar uma dinâmica melhor e um conforto maior.

As suspensões foram totalmente revistas, tendo as vias sido alargadas em 23 mm e instalados apoios mais duros na barra dianteira e reforçados os apoios do eixo traseiro para aumentar a estabilidade. O sistema de direção de pinhão duplo foi substituído por um de correia. Os clientes também têm a possibilidade de trocar os amortecedores passivos, que são de série, por ativos.

Opções de combustão e PHEV

Como um novo modelo elétrico será lançado no próximo ano, o iX3 produzido na China deixa de ser comercializado. No entanto, o novo X3 continua a manter a oferta diesel, juntamente com as opções a gasolina e híbrida plug-in.

As versão de entrada a gasolina xDrive 20 utiliza um motor de quatro cilindros de 1998 cc,  com tecnologia híbrida suave, que desenvolve uma potência de 208 cv. Segue-se o diesel, com igual número de cilindros, mas com 1995, que oferece uma potência de 197 cv. 

A gama conta ainda com uma versão híbrida plug-in XDrive 30e, que combina um bloco a gasolina de 1998 cc, com 190 cv, com um motor elétrico de 184 cv, os quais desenvolvem uma potência de 299 cv e um binário de 450 Nm, e uma bateria de iões de lítio de 19,7 kWh, a qual permite percorrer entre 81 km e 90 km em modo elétrico. Num ponto de carregamento de 11 kW, é possível recuperar a capacidade total em 2h15m.

O topo de gama do X3 é o M50 xDrive, equipado com um motor de 2998 cc, o qual oferece uma potência de 381 cv e um binário de 540 Nm.

Imagem exterior revista

No entanto, as alterações mais notórias podem ser encontradas no exterior, já que o X3 foi profundamente redesenhado, adotando a mais recente linguagem de design da BMW. O capot está mais alto, a grelha mais proeminente e os grupos óticos são mais estreitos. 

O novo X3 cresceu ligeiramente no comprimento e na largura, para 4,76 metros e 1,92 metros, respetivamente, mas a altura do tejadilho diminuiu ligeiramente para assegurar uma silhueta mais desportiva.

O habitáculo também foi totalmente renovado. O painel de bordo minimalista tem ao centro um ecrã panorâmico digital que utiliza a mais recente geração do sistema iDrive da BMW, o qual pode ser controlado através do ecrã tátil ou do comando giratório na consola central. O comando da climatização é regulado através de uma nova “Barra de Interação” háptica, oriunda do Série 7.

LEIA TAMBÉM
BMW X3 xDrive30e. Alternativa soft

A BMW também apostou na melhoria da qualidade dos materiais utilizados no habitáculo do X3, enquanto a capacidade da bagageira também aumentou 20 litros.