Publicidade

Inovação automóvel. Chineses ameaçam BMW

Texto: Carlos Moura
Data: 1 de Julho, 2024

Os fabricantes alemães estão a perder a corrida na inovação automóvel para os chineses, embora, segundo um estudo recente, a BMW ainda continuar a liderar nesta área, mas sob forte ameaça da concorrência do Extremo Oriente. 

O CAM – Centre Automotive Management revelou o seu mais recente estudo sobre os fabricantes mais inovadores a nível mundial. Os resultados indicam que a BMW ocupa a primeira posição, mas os construtores chineses constituem uma séria ameaça.

De acordo com a classificação daquele organismo, cinco dos dez grupos automóveis mais inovadores são chineses e aquela percentagem continua abaixo dos dez primeiros, já que os fabricantes daquele pais do Extremo Oriente foram responsáveis por 46% das inovações neste ano.

“Baseados em cerca de 1000 inovações no período de análise anual de 2023/2024, verificou-se uma mudança radical em termos de inovação a favor dos chineses”, afirma o CAM.

Por outro lado, os fabricantes alemães estão a perder a corrida em termos de inovação. Em 2019, representaram 45% do total de inovações, mas agora a sua quota baixou para os 23%.

Alemães e americanos a ficar para trás

O problema não reside na quantidade, até porque os fabricantes alemães tiveram mais 8% de inovações do que no ano anterior, mas, sim, na velocidade. No mesmo período, as inovações chinesas cresceram 32%.

Segundo a CAM, os fabricantes norte-americanos estão a ficar para trás, especialmente a General Motors a Ford, as quais caíram na classificação do sexto e quinto lugares da tabela para o 15º e 16º, respetivamente. A Tesla conseguiu subir do 15º para o 13º lugares, mas a CAM nota que não alcançou o mesmo nível de inovações dos anos anteriores.

Os japoneses, por seu turno, estão a recuperar terreno, com a Toyota na quarta posição, na frente da Mercedes-Benz e do Volkswagen Group.

Em termos individuais, o líder não é chinês, mas alemão. A BMW foi a marca mais inovadora em todo o mundo, tendo lançado o maior número de novidades entre os 30 grupos automóveis, nada menos do que 70, incluindo 27 estreias mundiais, tendo, por isso, alcançado o primeiro lugar.

As chinesas Geely e a SAIC ocuparam os restantes lugares do pódio. Contudo, a disputa foi renhida. “Com um índice de 151 pontos, a BMW terminou em primeiro, mas a curta distância dos concorrentes chineses, que alcançaram 149,4 e 136,8 pontos, respetivamente.

Mais de 700 inovações

A CAM analisa todas as inovações e no caso da mobilidade elétrica refere que a Geely e a SAIC estão à frente da BMW, enquanto a Xpeng e a BYD também obtêm excelentes resultados.

“Os fabricantes chineses Geely e SAIC, que terminaram no pódio, assim como a Xiaopeng Motors (Xpeng, sétimo lugar) e a BYD (oitavo lugar) estão a mostrar que são muito fortes em termos de inovação nas áreas da mobilidade elétrica, sistemas de assistência à condução (ADAS) e interfaces (conceitos de ecrãs), tendo apresentado mais de 80 estreias mundiais”, refere a CAM.

“No segmento dos elétricos, a GAC, Geely, SAIC e Xpeng estão a ser responsáveis por recordes, particularmente em termos de potência de carregamento e autonomia, assim como a mais elevada potência de carregamento no segmentos dos comerciais com o Xpeng X9”.

LEIA TAMBÉM
Reinvenção total! Saiba (quase) tudo sobre o futuro BMW i1

Para a sua classificação, a CAM reuniu informação relativa a cerca de 30 grupos automóveis e um total de cem marcas. Os resultados compreendem 709 inovações verificadas que já estão disponíveis para os clientes nos principais mercados e outras 282 em pré-série ou estudo.