Publicidade

BMC e Ohm reforçam oferta no mercado nacional

Texto: Carlos Moura
Data: 6 de Maio, 2024

Duas novas marcas, Ohm e BMC vêm reforçar a oferta de comerciais ligeiros e pesados no mercado nacional. As vendas já arrancaram e as primeiras unidades estão a chegar ao nosso país para serem entregues aos clientes.

O mercado português de veículos comerciais ligeiros e pesados tem vindo a ganhar dinamismo com a chegada de novas marcas. As mais recentes são a BMC, da Turquia, naquilo que, na verdade é um regresso ao no nosso mercado, e a Ohm, detida pela Hiab e com produção na China. Ambas são distribuídas no nosso país pela empresa SJDA – Distribuição Automóvel, com instalações em Sintra.

A operação da BMC Trucks no nosso país arrancou com a comercialização de camiões da gama Tügra,  os quais utilizam componentes dos principais fabricantes internacionais: motores Cummins ou FPT Cursor, caixas de velocidades ZF Traxon com ou sem Intarder, sistemas de travagem Wabco e eixos traseiros Meritor. 

BMC Turgra 4×2 com 460 cv

A oferta BMC vai incluir tractores 4×2, com cabina alta e duas camas (Elegance) ou baixa, equipados com motores FPT Cursor de 11 litros com 460 cv e transmissão automática de 12 velocidades. A suspensão é de molas parabólicas no eixo traseiro e pneumática no dianteiro, contando com barra estabilizadora em ambos os eixos. 

Para aplicações ligadas a transporte regional e construção, a BMC disponibiliza camiões rígidos nas configurações 6×2, 6×4 e 8×4, com cabina curta ou longa, equipados com motores diesel Cummins de 320 cv ou de 400 cv, caixa manual ou automática de nove ou 16 velocidades, respetivamente.

A BMC Trucks, recorde-se, é um dos principais fabricantes turcos com mais de 300 mil veículos produzidos desde 1964. A marca está presente em mais de 80 países e disponibiliza uma extensa gama de camiões e autocarros, fabricados numa moderna unidade industrial com uma área de 250 000 m2 em Izmir Pinarbasi. 

Ohm aposta em chassis-cabina elétricos

A Ohm, por seu lado, aposta no segmento de veículos elétricos do tipo chassis-cabina. Detida pela Hiab dos Países Baixos – fabricante das gruas com o mesmo nome -, centro de pesquisa e desenvolvimento em Itália, sede em Singapura e produção na China, foi fundada em 2021 e dedica-se à conceção e produção de veículos comerciais elétricos para aplicações ligadas à distribuição urbana e serviços municipais. 

A estrutura do chassis foi otimizada para facilitar a instalação dos mais diversos tipos de carroçarias, incluindo contentores fechados, com ou sem frio, caixas abertas, equipamentos de recolha de resíduos sólidos, entre outros. 

Ohm 35 EV

O seu primeiro modelo, que já se encontra em comercialização, é o Ohm 35 BEV, um chassis-cabina elétrico, homologado com peso bruto de 3500 quilos.

O chassis de aço reforçado com estrutura clássica de travessas e longarinas, que oferece uma capacidade de carga sem carroçaria até 2000 kg ou entre 1000 kg a 1500 kg, após carroçamento. O comprimento do total em chassis é de 4,89 metros, a largura de 1,76 metros e a altura da cabina de 2,00 metros. A distância entre-eixos é de três metros.

Motor de 86 kW

O Ohm 35 BEV está equipado com dois packs de bateria de fosfato de ferro e lítio (LiFePO4), localizados em ambos os lados do chassis, que garantem uma autonomia de até 241 quilómetros em ciclo WLTP ou 337 km em ciclo urbano, para um peso total do veículo de 2143 kg. 

A bateria fornece energia a um motor elétrico síncrono, localizado no eixo traseiro, que desenvolve uma potência máxima de 86 kW (117 cv) e um binário máximo de 3150 Nm. Para não penalizar o consumo energético, a velocidade máxima está limitada a 90 km/h, sublinhando o caráter deste veículo para operação em ambiente urbano. 

Para recuperar a capacidade de carga da bateria, o Ohm 35 oferece a possibilidade de carregamento em corrente alterna, com potência até 7 kW, ou contínua, até 80 kWh. Nesta última opção bastam 40 minutos para carregar a bateria dos 20% aos 90%. O consumo médio de energia anunciado é de 24,6 kWh/100 km.

Apenas dois lugares

O habitáculo do Ohm 35 oferece uma lotação para dois ocupantes. O ambiente a bordo é caraterizado pela simplicidade e robustez, mas nota-se que houve um cuidado especial na utilização de materiais agradáveis à vista, sendo de destacar que qualidade percecionada está em linha com os produtos europeus.

O equipamento de série inclui ar condicionado manual, vidros elétricos, direção assistida elétrica, rádio, sistema multimedia com ecrã tátil localizado no topo da consola central.

O ecrã tátil fornece um conjunto de informações como o estado do veículo ou do ar condicionado, a velocidade média, assim como da bateria. O painel de instrumentos possui um pequeno ecrã TFT que concentra dados relevantes para a condução como a velocidade instantânea, programa de condução selecionado, autonomia restante, voltagem total da bateria, entre outros.

Posição de condução elevada 

À semelhança de outros veículos do segmento, a posição de condução é elevada, estando os comandos ao fácil alcance. O ajuste do assento do condutor é manual, mas o volante não é ajustável. 

Para ligar o veículo, basta rodar a chave na ignição, de forma tradicional, enquanto o travão de estacionamento, localizado entre os assentos, é mecânico.

LEIA TAMBÉM
Autocarros chineses lideram vendas no mercado português

 Os três programas de condução R- N – D são selecionados através de um comando giratório localizado na base da consola central. A condução é semelhante à de qualquer outro elétrico, bastando carregar no pedal do acelerador ou no pedal do travão. A dinâmica é semelhante à de qualquer outro veículo elétrico com estas caraterísticas. O Ohm 35 EV encontra-se disponível, com preços a partir de 60 mil euros (mais IVA). 

A Turbo Frotas & Comerciais sabe que as primeiras unidades da BMC Trucks e da Ohm já foram vendidas a clientes nacionais, devendo estar a chegar ao nosso país para serem entregues aos novos proprietários.