Publicidade

Estudo para a mobilidade. Volkswagen Gen. Travel é o carro do futuro… sem volante

Texto: Francisco Cruz
Data: 23 de Setembro, 2022

O Volkswagen Group acaba de dar a conhecer a sua mais recente interpretação daquilo que poderá ser a mobilidade no futuro. A antevisão chama-se Volkswagen Gen. Travel e, até pelo facto de não ter volante, apresenta-se como bem mais do que um simples veículo automóvel.

Apresentado, enquanto estudo para a Mobilidade, durante a Chantilly Arts & Elegance, que decorreu perto de Paris, o Volkswagen Gen. Travel é descrito pela própria marca alemã como um veículo cuja carroçaria procura fundir as linhas de uma berlina, com a estética de um veículo multifunções, ou MPV.

Contudo, o Volkswagen Group também refere que este não é um automóvel que qualquer cliente possa vir a comprar, um dia, mas, sim, um meio de transporte, parte de um serviço de mobilidade, de que o público poderá desfrutar.

O Veículo de Experiência de Inovação anuncia viagens longas em total tranquilidade e prazer. Isto, claro está, se um dia passar à produção...
O Veículo de Experiência de Inovação anuncia viagens longas em total tranquilidade e prazer. Isto, claro está, se um dia passar à produção…

Também por esse motivo, a marca alemã prefere chamar a este estudo “Veículo de Experiência de Inovação”, ou IEV, apontando-o como uma visão sobre aquilo que poderá ser a mobilidade de longa distância, já na próxima década, assim como uma alternativa às viagens (curtas) de avião.

LEIA TAMBÉM
Volkswagen Group acredita que escassez de chips continuará até 2024

De resto e a procurar ganhar vantagem face a esta última alternativa, a disponibilização de um habitáculo cujo acesso é facilitado pela presença de enormes portas de abertura tipo asa de gaivota, desvendando um habitáculo não apenas aconchegante, como, já na configuração sala de negócios, quatro verdadeiras cadeiras de escritório, mais uma mesa de trabalho.

Resolvidas as exigências profissionais, o mesmo espaço permite oferecer, dobrando os bancos por completo, um ambiente ideal para descansar, aproveitando, inclusivamente, a sensação de abertura para o exterior, proporcionada pelas enormes janelas laterais e tecto em vidro. E, isto, enquanto segue viagem, já que o IEV consegue assumir, por completo, a responsabilidade da condução, graças à utilização de tecnologia de condução autónoma de Nível 5.

Apresentado como um estudo, não da marca, mas de todo o Grupo Volkswagen, motivo pelo qual não exibe o duplo ‘V’ que caracteriza o fabricante de Wolfsburgo, a verdade é que, este IEV, dificilmente passará um dia à produção. Ainda que estreie alguns recursos que, também segundo o grupo automóvel, possam vir a ser aplicados nalguns veículos de série…

Sem volante, o IEV desloca-se graças a tecnologia de condução autónoma de Nível 5
Sem volante, o IEV desloca-se graças a tecnologia de condução autónoma de Nível 5