Renault Talisman renovação

Publicidade

Au revoir, Talisman. Renault colocou um ponto final na produção do sedan

Texto: Francisco Cruz
Data: 7 de Março, 2022

Apresentado como o modelo capaz de ombrear com as propostas alemãs do segmento D, o Renault Talisman acabou não conseguindo alcançar o objectivo definido. Motivo pelo qual a marca francesa colocou já um ponto final na produção da sua berlina mais estatutária.

A notícia acaba de ser avançada pelo site Motor1, acrescentando, inclusivamente, que a produção do Renault Talisman já foi, neste momento, interrompida. Mais concretamente, no final do passado mês de fevereiro de 2022.

De resto e embora a notícia não deixe de causar alguma surpresa, a verdade é que tal hipótese já era alvo de rumores há algum tempo. E, em particular, à medida que a adesão dos consumidores aos crossovers foi ganhando força.

Apresentado como uma berlina capaz de rivalizar com as propostas alemãs, o Renault Talisman terá já desaparecido, sem honra ou glória
Apresentado como uma berlina capaz de rivalizar com as propostas alemãs, o Renault Talisman terá já saído de produção, sem honra ou glória

Aliás, esta é uma luta com que se deparava, não apenas o Talisman, mas praticamente todos os sedans e executivos do mercado. Os quais tiveram 2016 como último grande ano, ao realizarem um total de 344.344 unidades vendidas, para, a partir daí, registarem perdas consecutivas até à atualidade – em 2019, não foram além das 16.405 unidades; em 2020, ficaram-se, pelos 8.025 carros transaccionados.

LEIA TAMBÉM
Renault Talisman renovado com acento no requinte e tecnologia

Quanto ao Talisman propriamente dito e embora nunca tendo conseguido colocar em causa a supremacia das berlinas alemãs, não deixou de se apresentar como uma proposta completa. Graças, desde logo, a uma variedade de motorizações bastante abrangente, da qual faziam parte, tanto motores a gasolina, como Diesel.

O mesmo se passava, de resto, no domínio do equipamento, com o modelo francês a oferecer, inclusivamente, acabamentos que poderão ser considerados de luxo, como era o caso do nível Initiale Paris. E no qual não faltava, sequer, a componente tecnológica, traduzida, por exemplo, num painel de instrumentos digital de 10,2 polegadas, um sistema de infoentretenimento de 9,3 polegadas, sistema de quatro rodas direccionais e tecnologia de condução semi-autónoma de nível 2.

Proposto com uma ampla oferta de motores e acabamentos quase de luxo, o Talisman acabou "abatido" pela "loucura" crossover
Proposto com uma ampla oferta de motores e acabamentos quase de luxo, o Talisman acabou “abatido” (também) pela “loucura” crossover

Tudo argumentos que, no entanto, acabaram não sendo suficientes para garantir a subsistência desta berlina francesa, a qual, sabe-se agora, deixou já de ser produzida.

Au revoir, Talisman