Publicidade

Novo Panamera. Já conhece a invulgar suspensão ativa da Porsche?

Texto: Ricardo Machado
Data: 14 de Março, 2024

Fomos a Espanha, ao circuito Monteblanco, conduzir o novo Porsche Panamera e ficámos mais impressionados com a suspensão do que com os motores. Não é comum, mas é verdade. A nova suspensão Active Ride é, realmente, única.

Anos de acompanhamento contínuo do lançamento de novos modelos da Porsche prepararam-nos para o aumento esperado da potência. É inevitável. Os novos modelos serão sempre mais potentes do que os que vêm substituir.

Pormenor da jante de aperto central do novo Porsche Panamera
O novo Porsche Panamera é o primeiro da gama a utilizar jantes de aperto central

Assim, foi com alguma naturalidade que nos sentámos ao volante do novo Porsche Panamera Turbo E-Hybrid de 680 cv. Fundimo-nos com o trânsito matinal sevilhano, para uma viagem sem história até ao circuito Monteblanco.

LEIA TAMBÉM
Porsche Cayenne Turbo E-Hybrid. Potência sem emissões

Entre a chuva persistente e a ameaça de controlos de velocidade feitos por drone e helicóptero, não se reuniram as condições necessárias para soltar os 930 Nm e disparar até aos 100 km/h em 3,2 segundos. Muito menos para tocar os 315 km/h…

Suspensão pneumática de série

Destaca-se o conforto da suspensão pneumática, de série para todas as versões do novo Porsche Panamera. O interior mantém as comodidades e o bom gosto na combinação de materiais e acabamentos caraterísticos do Panamera.

Seguindo a linha de design do Taycan, os ecrãs de 12,3 polegadas, um para o painel de instrumentos, o outro para o entretenimento, podem ser complementados por terceiro mostrador com 10,9 polegadas. Esta opção permite ao acompanhante aceder diretamente ao entretenimento ou mesmo ver vídeos. A segurança está garantida por um tratamento que torna o ecrã opaco quando visualizado do lado do condutor.

O comando da nova caixa PDK, reforçada para trabalhar com binários superiores a 900 Nm, migrou da consola central para o tablier, do lado direito do volante. Uma solução que permite otimizar o espaço na consola entre os bancos dianteiros.

Tudo normal. Nada que não se esperasse da nova geração uma berlina de luxo com a assinatura Porsche. As surpresas começaram quando fomos convidados a entrar para o novo Porsche Panamera equipado com a suspensão Active Ride.

Mais rápido é difícil

Disseram-nos que aumenta a altura ao solo em 5,5 cm para facilitar o acesso. O que não nos disseram é que o novo Porsche Panamera salta e apara a altura de acesso.

Não é a primeira suspensão pneumática com esta funcionalidade de conforto. É, isso sim, a primeira a fazê-lo de forma instantânea. Em vez de abrir a porta e contar até cinco enquanto a carroçaria atinge a altura máxima, ao condutor do Panamera com suspensão Active Ride basta abrir a porta e entrar. Mais rápido corre o risco de se tornar desconfortável para os ocupantes.

E estávamos apenas no início. Atuando de forma independente sobre cada roda, a nova suspensão opcional Active Ride (8222 €) eleva o amortecimento ativo a um novo patamar. O novo Porsche Panamera tanto pode manter-se horizontal como uma tábua, como ondular ao sabor das curvas.

O primeiro cenário corresponde ao modo Sport Plus. Os amortecedores reduzem a altura ao solo e conseguem manter a carroçaria nivelada, independentemente da velocidade de entrada e ângulo da curva. Acelerações e travagens também acontecem no plano horizontal.

O segundo cenário, por ser uma solução de conforto, acontece no modo híbrido. Ativa-se aos 50 km/h, atingindo a capacidade máxima aos 70 km/h. Depois mantém-se estável até aos 200 km/h, velocidade a que regressa ao primeiro patamar.

Suspensão Active Ride

Como funciona, então, o Active Ride. Quando equipado com a suspensão opcional, o novo Porsche Panamera desafia a leis da física. Em vez de levantar a frente em aceleração, levanta a traseira. Na travagem faz o inverso. É muito estranho. Não faz sentido pressionar o pedal esquerdo e sentir a frente levantar ao mesmo tempo que a velocidade diminui.

Mais estranho ainda é curvar com a carroçaria inclinada para o interior da curva. Como se fosse uma moto. Quando se espera ser projetado para o exterior, o novo Porsche Panamera puxa-nos com suavidade para o interior. A inclinação máxima em cada eixo não ultrapassa os três graus.

Durante as simulações repetidas em pista, o movimento corre o risco de se tornar enjoativo. Parece um barco a navegar por águas moderadamente agitadas. Em estrada, onde as mudanças de direção fluem com menor intensidade, é mais natural.

Acompanha a estrada com um inclinar suave para o interior da curva. Por trás do movimento natural está o controlo independente de cada roda, que vai ajustando a carga de cada amortecedor ao longo da curva. A Porsche acabou de criar mais um opcional obrigatório…