Publicidade

Produção do Opel Insignia vai acabar no final de 2022

Texto: Carlos Moura
Data: 20 de Julho, 2022

A Opel vai acabar com a produção do Insignia até final de 2022 porque quer utilizar a capacidade instalada na fábrica de Rüsselsheim para a montagem de três novos modelos eletrificados. Assim termina a carreira do último modelo que ainda utiliza uma plataforma da General Motors.

O último modelo da Opel que ainda utiliza uma plataforma da General Motors, o Insignia, vai deixar de ser produzido no final de 2022. O objetivo é libertar espaço na linha de montagem de Rüsselsheim para a construção de mais modelos compactos eletrificados.

Em declarações ao Business Insider, um porta-voz da Opel confirmou o fim da produção do Insignia. “Como resultado das normas de emissões de dióxido de carbono e a aposta no rápido lançamento de três novos modelos multi-energias em Rüsselsheim, a produção do Insignia será descontinuada este ano”.

Aquela fonte adiantou que a Opel quer utilizar toda a capacidade da fábrica Hesse em Rüsselsheim para a produção do Opel Astra, Opel Astra Sports Tourer e DS4.

A mesma fonte acrescentou que a Opel está a trabalhar no sucessor do Insignia, que será eletrificado, sublinha que a marca está empenhada em se tornar numa marca totalmente elétrica até 2028 e está a preparar o lançamento de vários avançados modelos elétricos, incluindo um topo de gama, também elétrico.

Gama eletrificada em 2024

O sucessor do Insignia deverá ser lançado em 2024 ou 2025. O movo modelo poderá adotar uma carroçaria do tipo SUV-Coupé, semelhante à do Citroën C5X ou do Peugeot 408, para conquistar clientes que querem a funcionalidade de um SUV e uma silhueta mais aerodinâmica.

A atual geração do Opel Insignia foi lançada em 2016 e renovada em 2019, sendo disponibilizada nas carroçarias Grand Sport (berlina), Sports Tourer (carrinha) e Country Tourer (carrinha com maior altura ao solo) e GSi, de vocação mais desportiva.

O sucessor do Opel Insignia deverá ter uma carroçaria semelhante à do Citroën C5X

Além da Europa Continental, este modelo também era comercializado como Vauxhall Insignia (Reino Unido), Holden Commodore (Austrália) e Buick Regal (Estados Unidos). Estes últimos também já foram descontinuados.

Desenvolvido antes da aquisição pelo Grupo PSA em 2017, o Insignia é o último modelo que ainda utiliza plataforma da General Motors. Juntamente com o Crossland também é um dos dois últimos modelos a não ser proposto numa versão eletrificada, mas isso irá mudar a curto prazo, já que a marca quer tornar-se totalmente eletrificada até 2024 e puramente elétrica até 2028.