Nissan

Publicidade

Assegurará apenas os SUV. Nissan “entrega” berlinas à Renault na Europa

Texto: Redação
Data: 5 de Janeiro, 2021

Depois de, com Carlos Ghosn, ter dado a conhecer um plano de forte expansão, também na Europa, a Nissan dá agora passo atrás, visando uma realidade contrária e com uma aposta clara nos SUV. Já quanto aos restantes veículos de passageiros, a ideia da marca nipónica é recorrer à ajuda da “irmã” Renault.

A revelação desta nova estratégia surge através do diário japonês Yomiuri, o qual garante que, o objectivo da Nissan é, hoje em dia, fazer marcha-atrás no plano de expansão delineada pelo anterior Chairman, Carlos Ghosn. Reduzindo não apenas os modelos, mas também os canais de distribuição.

Segundo a mesma fonte, esta redução atingirá um total de 30 países, a maioria dos quais, na Europa Ocidental, ao mesmo tempo que, acrescenta a agência noticiosa Reuters, deverá levar ao fecho da fábrica de Avila, noroeste de Madrid, Espanha. Neste caso, para conversão num armazém.

Poderá o elétrico Leaf vir a ser produzido pela Renault? Só os próximos tempos poderão responder a esta pergunta…

Embora a notícia não revele quaisquer detalhes sobre o nível de outsourcing a alcançar, indesmentível parece ser o facto da Nissan pretender reduzir a sua presença na Europa, focando, preferencialmente, nos mercados da China, Estados Unidos e Japão.

LEIA TAMBÉM
Nissan. Futuro Micra vai desenvolvido e produzido pela Renault

Segundo o novo plano já divulgado, o objectivo passa, também, por reduzir, em um quinto, a capacidade de produção e de modelos, ao mesmo tempo que as despesas são cortadas em 300 mil milhões de yenes, pouco mais de 2,375 milhões de euros, ao longo dos próximos três anos.

Recorde-se que a Nissan reconheceu, recentemente, possuir uma gama envelhecida, repleta de modelos pouco competitivos, em particular, na Europa. Continente onde as suas vendas passaram das 566.191 unidades transaccionadas, para 394.091 em 2019.

Os SUV e crossovers, como é o caso do novo Juke, prometem continuar a ser a principal arma da Nissan na Europa

“Apostámos numa expansão demasiado rápida no mundo, procurando antecipar o crescimento global dos construtores automóveis, assim como resultados de vendas que se esperavam excelentes. Só que nada disso aconteceu”, afirma o director para as Operações Globais da Nissan, Ashwani Gupta.

Quanto à Europa, as mesmas fontes garantem que a aposta da marca continuará a ser nos crossovers e, em particular, em modelos como o Qashqai, Juke e X-Trail.