Mustang Mach 1

Publicidade

Ford. Mustang Mach 1 está de regresso com motor V8 de 480 cv

Texto: Carlos Moura
Data: 17 de Junho, 2020

A Ford vai voltar lançar o Mustang Mach 1, para já, numa edição limitada apenas para a América do Norte, e com caraterísticas exclusivas das quais se destacam o motor V8 de 480 cv, a decoração específica, e a transmissão oriunda do Shelby GT350. Quanto a nós, ficámos à espera de vê-lo chegar à Europa…

Após um interregno de 17 anos, o Ford Mustang Mach 1 está de regresso, numa edição limitada, que, conforme a TURBO já noticiou, irá posicioná-lo, em termos de gama, entre o Mustang GT e o Shelby.

Equipado com um motor V8 de 5,0 litros e 480 cv, recupera a aerodinâmica agressiva do Mach 1 original, introduzido em 1969, e promete prestações arrepiantes. Ainda que e pelo menos para já, só à disposição dos fãs nos Estados Unidos e Canadá.

LEIA TAMBÉM
Confirmado! Ford vai mesmo fazer renascer o Mustang Mach 1

O novo Mustang Mach 1 também foi projetado para se tornar na versão deste modelo, com motor de 5,0 litros, com melhores capacidades dinâmicas em circuitos.

O objetivo é recuperar a herança e o espírito do modelo da primeira geração que bateu 295 recordes de velocidade e resistência em Bonneville Salt Flats.

Após um interregno de 17 anos, o Mustang Mach 1 volta a estar disponível

O seu comportamento dinâmico e as suas prestações permitiram às equipas Mach 1 conquistarem os títulos de construtores do Campeonato de Ralis SCCA em 1969 e 1970.

Preparado pela Ford Performance

O novo Mustang Mach 1 recebe um motor V8 de 5,0 litros que foi devidamente preparado para disponibilizar uma potência máxima de 480 cv às 7000 rpm e um binário de 570 Nm às 4600 rpm.

Este propulsor recebeu alguns componentes do Shelby GT350, incluindo a tomada de ar de admissão, o adaptador do filtro de óleo e o radiador de óleo para aumentar a capacidade de refrigeração do motor em 50%.

Novo Mustang Mach 1 recebe um motor V8 de 5,0 litros com 480 cv

A nova versão deste desportivo beneficia igualmente dos conhecimentos acumulados pela Ford Performance, que não hesitou em introduzir uma carenagem dianteira específica para melhorar a eficiência aerodinâmica e um conjunto de componentes para ajudar a celebrar a herança deste ícone.

LEIA TAMBÉM
Mustang Shelby GT500. Ford não quis, Peicher vai importá-lo

Ao contrário do Mustang ‘normal’, a caixa automática de dez relações com conversor de binário é opcional no Mach 1. A Ford optou por montar a caixa manual de seis velocidades do Shelby GT350 para grande satisfação dos mais puristas. Além disso, a marca também decidiu introduzir um sistema de ajustamento automático do regime do motor (rev matching).

A imagem exterior recupera o espírito do Mustang Mach 1 original

Com relações mais curtas, esta transmissão manual herdou o sistema de refrigeração de óleo do GT350 e a embraiagem de disco duplo do Mustang GT. As relações também são mais curtas.

Imagem agressiva

A grelha do novo Mustang Mach 1 remete igualmente para o modelo original, graças a uma gelha perfurada do motor em 3D e a uma secção da frontal em forma de tubarão.

O design exterior também recupera alguns dos elementos do Mustang Mach 1 original, como os gráficos e as listas ou as entradas redondas na grelha. Antigamente albergavam um conjunto de faróis, mas agora servem apenas como tomadas de ar. As rodas recebem jantes em liga leve de 19 polegadas, com cinco raios.

Habitáculo do Mach 1 apresenta elementos específicos

O habitáculo também recebeu um tratamento especial, onde se destaca um painel de instrumentos Dark Spindrift com acabamentos cromados e bancos pretos com uma lista para recordar a herança Mach 1 nos carros com revestimento em pele.

Entre as outras novidades incluem-se os novos revestimentos das pegas das portas, um ecrã de 12,3 polegadas na consola central, o punho branco redondo na alavanca da caixa de velocidades e uma placa com o número de chassis.

A edição limitada do Mustang Mach 1 de 2021, cujas prestações oficiais estão ainda por conhecer, deverá chegar aos concessionários norte-americanos e canadianos da marca da oval azul, na primavera do próximo ano. Sendo que, para já, não está prevista a comercialização noutros mercados.

O que, sublinhe-se, é pena…