Publicidade

Além de nova redução na produção. McLaren Elva já vai ter pára-brisas

Texto: Francisco Cruz
Data: 27 de Maio, 2021

Embora ainda à espera para entrar em produção, o McLaren Elva acaba de receber uma boa notícia: o fabricante de Woking anunciou a decisão de produzir uma versão deste superdesportivo já com pára-brisas, tornando-o, assim, mais funcional para utilização no dia-a-dia.

Superdesportivo de dois lugares, originalmente apresentado como o McLaren de estrada mais leve de sempre, o Elva foi concebido como um avançado speedster e, como tal, desprovido de pára-brisas. Tudo, com o propósito de garantir um modelo cujo peso não vai além dos 1.300 kg em seco… e sem pára-brisas.

No entanto e, certamente, porque muitos clientes verão nessa opção motivo suficiente para descartarem um tal modelo, a McLaren anuncia agora a intenção de produzir uma versão do Elva, com pára-brisas. Mas, também, com o acréscimo de peso daí resultante, que a marca fixa em 20 kg. E que faz, assim, “disparar” o peso total para os 1.320 kg.

A par da colocação do pára-brisas, esta versão dispensa, ainda, o ‘Active Air Management System’, solução aerodinâmica que direcciona a passagem do vento, a partir do nariz do carro, ao longo da carroçaria, passando por cima do habitáculo, criar, assim, uma espécie de pára-brisas virtual. Algo que, naturalmente, a versão com pára-brisas físico, deixa de necessitar.

LEIA TAMBÉM
McLaren Elva é uma máquina à antiga

“Sem teto ou janelas, quer o cliente opte pela variante sem pára-brisas com sua sofisticada tecnologia AAMS, que fornece uma barreira invisível de ar, ou pela versão com pára-brisas, com um nível adicional de proteção, este é um roadster que recompensa os proprietários com a mais estimulante das experiências de condução de cabelos ao vento, proporcionadas com só um McLaren consegue”, comenta o CEO da McLaren, Mike Flewitt.

Recordar que o desempenho deste Elva é comparável ao do McLaren Senna, com a versão sem pára-brisas a necessitar de apenas 2,8 segundos para acelerar dos 0 aos 100 km/h, e 6,8 segundos, para atingir os 200 km/h.

A justificar, igualmente, estas prestações, um V8 4.0 Twin-Turbo a debitar 815 cv e 800 Nm de binário máximo, enviados exclusivamente para o eixo traseiro através de uma caixa automática de dupla embraiagem e sete velocidades.

McLaren reduz (mais uma vez) número de unidades

Referir, ainda, que a McLaren decidiu voltar a reduzir, pela segunda vez, o número de unidades a produzir deste Elva, passando, agora, para apenas 149. Na primeira vez, a redução havia sido de 399, para 249.

Recordar, ainda, que o McLaren Elva deverá entrar em produção em breve, com as primeiras unidades a terem entrega prevista aos clientes ainda antes do final do ano. Cada unidade deverá custar a módica quantia de 1,5 milhões de euros.