Mobieco

Publicidade

Estudo. Maioria dos portugueses gostaria de comprar um SUV híbrido ou elétrico

Texto: Carlos Moura
Data: 24 de Março, 2022

A maioria dos portugueses gostaria de adquirir um veículo híbrido ou elétrico e de preferência um SUV, revela um estudo internacional Observador Cetelem Automóvel 2022, realizado em 17 países.

A maioria dos portugueses gostaria de comprar um veículo híbrido ou elétrico, segundo revela o mais recente estudo Observador Cetelem Automóvel 2022. 69% dos automobilistas inquiridos admitem adquirir uma viatura elétrica ou híbrida.

A preocupação com o ambiente e a implementação pelas autoridades de medidas cada vez mais rigorosas para combater as alterações climáticas são os principais factores que levam os inquiridos neste estudo a considerar a compra de um elétrico ou híbrido.

Relativamente às gamas preferidas, os inquiridos preferem claramente a carroçaria SUV. No nosso país, 55% dos proprietários de SUV e 24% dos não proprietários manifestaram interesse nesta tipologia de viatura se comprarem um automóvel no decorrer do próximo ano. 

Preferência de 60% dos portugueses

De acordo com o inquérito realizado pela consultora Harris para o Cetelem em 17 países – África do Sul, Alemanha, Bélgica, Brasil, China, Espanha, Estados Unidos da América, França, Itália, Japão, México, Noruega, Países Baixos, Polónia, Portugal, Reino Unido e Turquia -, seis em cada dez proprietários de SUV (60%) contam comprar um veículo desta tipologia. Os mais reservados nesta decisão são os belgas e os polacos (49% e 50%).

No que se refere aos não proprietários, o estudo indica que quase um terço dos inquiridos no estudo Observador Cetelem Automóvel 2022 estão dispostos a trocar para um SUV, sendo mais numerosos até do que os automobilistas que pretendem adquirir uma berlina (19%) ou um citadino (18%). 

Os entrevistados também responderam que a escolha futura de SUV é maioritariamente elétrica, com 74% dos proprietários desta tipologia de viatura em Portugal e 70% dos não proprietários a confirmarem esta opção. Este valor obtido no nosso país é mais elevado do que a média do estudo (66% e 61%, respetivamente).

As taxas de adesão são superiores na Turquia (88%, 78%), China (83%, 79%), Brasil (82%, 77%) e Itália (77%, 78%), enquanto se revelam baixas na Alemanha (57%,42%), Bélgica (45%,27%) e, particularmente, na França (42%, 37%). 

Novas restrições?

Cerca de um terço dos proprietários que participaram no estudo Observador Cetelem Automóvel 2022 consideram que deve haver restrições nas vendas dos SUV a combustão (26% em Portugal, 30% a nível global), assim como 41% dos não proprietários – 32% em Portugal. 

LEIA TAMBÉM
Portugueses acreditam nas vantagens ambientais dos SUV eletrificados

Inquiridos acerca de outras medidas menos drásticas, as respostas indicam que os proprietários nunca estão em maioria para prever medidas restritivas: limite máximo de velocidade, penalizações ecológicas para os SUV com motor a combustão (ambos com 45%) ou uma eventual penalização para os veículos mais pesados (40%). Nestes três pontos, os dados revelam que os não proprietários são ligeiramente maioritários no apoio a medidas restritivas (57%, 54% e 51%).