Audi Q4 e-tron Sportback 50 quattro. Eficiência e sofisticação em formato SUV-Coupé

Texto: Carlos Moura / Fotografia: José Bispo
Data: 18 de Fevereiro, 2022

A oferta do Audi Q4 e-tron foi reforçada com uma nova versão SUV-Coupé que associa uma imagem desportiva a uma elevada sofisticação e eficiência. Além de uma autonomia superior a 400 quilómetros, o Q4 e-tron Sportback destaca-se ainda por oferecer o comportamento dinâmico que se espera de um Audi.

Sem abdicar da habitabilidade nem da funcionalidade, a Audi reforçou a oferta do seu SUV elétrico de dimensões médias com uma nova versão, Q4 e-tron Sportback, que se carateriza por apresentar uma carroçaria ao melhor estilo SUV-Coupé.

Mantendo o comprimento (4,59 m) e a largura (1,87 m) do Audi Q4 e-tron distingue-se por uma altura total ligeiramente inferior (1,61 metros) e naturalmente pela secção traseira específica, em especial a partir do pilar “B”, onde começa a descida mais significativa do tejadilho.

A inclinação termina numa tampa bem integrada na carroçaria, onde se destaca um spoiler que divide o óculo na sua parte inferior, beneficiando a aerodinâmica.

Esta silhueta confere um visual mais desportivo ao Audi Q4 e-tron Sportback e a forma mais esguia da linha do tecto reduz a resistência ao ar, melhorando o consumo e a autonomia. Por outro lado, a habitabilidade traseira também não é particularmente penalizada, continuando a ser disponibilizado um amplo espaço para a cabeça, mesmo para pessoas de estatura mais elevada.

A imagem desportiva do Q4 e-tron Sportback é sublinhada pelas proporções marcantes, a grande distância entre-eixos, assim como as linhas musculadas e dinâmicas. As opcionais jantes de liga leve douradas de 21 polegadas, que montam pneus 255/40 R21, reforçam o dinamismo, a que se junta a iluminação exterior integralmente em LED.

O SUV elétrico da Audi é proposto em quatro versões com três níveis de potência e duas capacidades de bateria. No topo da oferta está o Q4 50 Sportback e-tron quattro, que oferece tração integral, graças a um motor elétrico em cada eixo, equipado com uma bateria de 82 kWh (77 kWh úteis), homologada com uma autonomia de até 495 km em ciclo WLTP. A bateria beneficia de uma garantia de oito anos ou 160 mil quilómetros.

INTERIOR

Apesar da ligeira diminuição da altura total face ao Q4 e-tron, o espaço disponível no interior é comparável ao de um SUV de segmento superior, o que se deve à eliminação do  tradicional do túnel da transmissão, substituída por uma consola flutuante, onde se localiza o botão de ignição (raramente utilizado porque este Audi se liga ou desliga apenas pela ação da transmissão), dos modos de condução e também o acesso direto às diversas assistências.

A elevada habitabilidade não se limita aos bancos dianteiros, já que os ocupantes dos assentos traseiros também beneficiam de um espaço generoso para as pernas. Para melhorar a visibilidade de quem viaja atrás, os bancos traseiros são montados numa posição cerca de sete centímetros mais elevada.

O nível de equipamento S Line, correspondente à unidade ensaiada, conta com revestimento dos bancos em poliester reciclado, assim como inserções S Line abaixo dos apoios de cabeça.

LEIA TAMBÉM
Também com versão Sportback. Audi apresenta o SUV elétrico Q4 e-tron

O painel de bordo tem uma forma tradicional, mas com um elevado grau de digitalização, desde o quadro de instrumentos até ao ecrã central, onde estão concentradas a quase totalidade das funções, exceto a climatização, que tem comandos físicos independentes. Como seria de esperar, os materiais utilizados são de qualidade, com plásticos suaves ao toque e mesmo o vidro do ecrã tátil é fabricado num material resistente. O ambiente interior premium cumpre, assim, os padrões de qualidade típicos da Audi.

Espaços para arrumação não faltam a bordo, com a marca a reivindicar um volume total de 24,8 litros, incluindo o porta-luvas, duas prateleiras junto à consola flutuante, um compartimento sob o apoio de braços, dois porta-copos ou porta-garrafas integrados na parte superior das portas que permitem arrumar garrafas de um litro.

Curiosamente, a capacidade da bagageira do Q4 e-tron Sportback é ligeiramente maior do que a do Audi Q4 e-tron, oferecendo um volume de 535 litros, isto é, mais 15 litros, que pode ir até aos 1420 litros com o rebatimento dos assentos traseiros numa configuração 40/20/40.

A bagageira possui ainda um fundo falso para guardar os cabos de carregamento ou objetos de reduzidas dimensões.

MECÂNICA

O Audi Q4 e-tron Sportback foi desenvolvido a partir da plataforma modular especialmente concebida para veículos elétricos do grupo Volkswagen (MEB), sendo o quarto modelo a utilizar essa base, a seguir ao Volkswagen ID.4 ao Skoda Enyaq e ao seu irmão Q4 e-tron.

A versão mais potente deste modelo é a Q4 50 Sportback e-tron quattro, com tração total por cortesia de dois motores elétricos, um de 204 cv colocado no eixo traseiro e outro de 109 cv. A potência combinada do sistema é de 299 cv (220 kW).

Para maior eficiência, o motor do eixo dianteiro só entra em ação quando é exigida uma elevada potência ou uma grande aderência. Assim, em condições normais é o motor traseiro que tem maior protagonismo e o que transmite mais binário através de uma caixa automática de uma velocidade, que consegue explorar bem um binário máximo de 460 Nm. Não obstante um peso em vazio superior a 2,2 toneladas, a linha motriz elétrica permite ao Q4 e-tron Sportback acelerar dos 0 aos 100 km/h em apenas 6,2 segundos e atingir uma velocidade máxima de 180 km/h.

Os motores elétricos são alimentados por uma bateria de 82 kWh (77 kWh úteis), que oferece uma autonomia de até 495 quilómetros em ciclo WLTP. Para uma maior eficiência, o Q4 e-tron Sportback está dotado com um excelente sistema de travagem regenerativa, que pode ser otimizada pelo condutor, ativando o modo B no seletor da transmissão. Em termos de consumo, a marca anuncia um consumo combinado de energia elétrica de 17,7 kWh/100 km em ciclo WLTP.

A bateria pode ser carregada em corrente alterna (AC) ou contínua (DC), com potências de 11 kW a 125 kW, uma possibilidade ainda restrita em Portugal, onde a maioria dos carregadores rápidos são de 50 kW. Mesmo assim é possível recuperar até 80% da capacidade total em pouco mais de uma hora.

TECNOLOGIA

O Audi Q4 Sportback oferece ao utilizador uma experiência totalmente digital. Tudo começa no painel de instrumentos, digital claro, orientado para o condutor, e dividido em duas áreas separadas, integrando dois ecrãs que, simultaneamente, são elementos de design.

Para aceder aos menús e aos dados do painel de instrumentos digital, o condutor tem de recorrer ao volante multifunções, cujos raios superiores apresentam superfícies em preto com áreas funcionais iluminadas, indicando os botões que estão ativos. Estes botões fornecem uma resposta suave tátil quando são pressionados. Entre as várias vistas incluem-se a projeção do sistema de navegação, o consumo médio de longo prazo ou da viagem.

Para garantir que o condutor mantém os olhos na estrada, o SUV-Coupé da Audi recebeu um head-up display de realidade aumentada que sobrepõe as informações disponibilizadas por alguns dos sistemas de assistência e os símbolos de navegação de uma forma conveniente para serem visualizadas.

As informações são exibidas dinamicamente num grande plano de visão, aparecendo numa imagem virtual, a uma distância simulada de, aproximadamente, dez metros ou mais do condutor. Este efeito é particularmente surpreendente quando está em funcionamento o opcional Sistema de Regulação Ativo da Velocidade de Cruzeiro (ACC), que tem a função de manter o veículo a uma distância de segurança do da frente, acelerando ou travando em função das necessidades. O sistema é ativado, com toda a simplicidade, através de uma alavanca localizada no lado esquerdo da coluna da direção e não no volante multifunções como muitos modelos.

A parte superior da consola central é dominada pelo ecrã tátil de 10,1 polegadas do sistema de infoentretenimento Audi MMI Pro (opcional), que possibilita o acesso aos serviços online do Audi Connect como, por exemplo, o planeamento inteligente de rotas e-tron para calcular a rota ideal para o posto de carregamento público mais próximo.

A dotação de série do Q4 e-tron Sportback é bastante completa, destacando-se o ar condicionado automático, o Audi Drive Select, fecho centralizado com sistema keyless go, sensores de luz e chuva, front assist, aviso de saída de faixa de rodagem, limitador de velocidade, airbag duplo e laterais, entre outros. Para não variar, a lista de opcionais também é extensa, incluindo o Audi MMI Pro, o sistema de som Sonos Premium, o interior S Line, o pacote Comfort Plus ou o Comfort Key com Safelock e alarme, entre outros.    

AO VOLANTE

O Audi Q4 e-tron Sportback aposta na simplificação dos procedimentos em termos de condução, começando pelo botão de arranque meramente decorativo na consola central (nesta versão), bastando para iniciar a marcha carregar no travão e colocar o seletor de velocidades na posição “D” ou “B”. Mas ainda mais estranho é a saída, já que tudo se desliga quando o condutor abandona o automóvel, levando a chave.

A necessidade de acomodar o head-up display com realidade aumentada obrigou os engenheiros da Audi a avançarem os pilares do pára-brisas para um posição demasiado afastada, podendo penalizar a visibilidade nalguns cruzamentos. A vista traseira também é prejudicada pelo spoiler que divide o óculo traseiro, mas nas manobras de márcha-atrás este constrangimento é ultrapassado pela câmara traseira e pelos sensores.

O SUV-Coupé elétrico da Audi carateriza-se por um andamento suave e silencioso, deslizando com enorme facilidade em resposta ao acelerador, embora a gestão eletrónica evite a sensação de brusquidão. A reação quase instantânea da linha motriz elétrica face ao acelerador não é afetada por um peso superior a 2,2 toneladas. A agradabilidade de condução é um dos seus pontos fortes, contrariando os críticos dos veículos elétricos que os acusam do oposto.

Para esse comportamento dinâmico agradável e competente contribui a localização das baterias de alta tensão sob o piso do veículo, entre os eixos, que garante um baixo centro de gravidade e uma eficácia dinâmica, assim como o sistema de tração “quattro” que assegura uma distribuição de força muito equilibrada, nunca se sentindo perda de aderência ou de motricidade. Mesmo nos trajetos mais sinuosos, o Q4 e-tron Sportback 50 quattro denotou sempre um comportamento dinâmico previsível e seguro.

Em termos de economia e eficiência, a versão mais potente do Q4 e-tron Sportback consome energia a um ritmo moderado em cidade e nos trajetos interurbanos e um pouco mais em autoestrada. Conseguir os 495 quilómetros de autonomia (WLTP) significa fazer consumos abaixo dos 17 kWh, o que está longe de ser fácil. No modo de condução mais económico, em Efficiency e travagem regenerativa ativada (B), foi possível alcançar um consumo médio durante o ensaio de 18,5 kWh/100 km, valor que não deixa de ser interessante. Mas em autoestrada ultrapassa facilmente os 20 kWh/100 km.

A suspensão independente, do tipo McPherson à frente e multilink atrás, cumpre cabalmente a sua função, embora pudesse ser mais eficaz em termos de conforto quando o piso se degrada e exige uma capacidade de absorção maior. Um ponto a rever pelos engenheiros da Audi.

VEREDICTO

Apesar de ter um preço base mais elevado do que o Q4 e-tron na versão 50 quattro (2100 euros) e uma carroçaria mais baixa, esta relativa desvantagem do Q4 e-tron Sportback é compensada por um tecto mais esguio que reduz a resistência aerodinâmica e melhora o consumo, aumentando a autonomia de forma significativa. Isto significa que o Audi Q4 e-tron Sportback é um dos poucos SUV-Coupé que faz mais sentido comprar por motivos racionais do que estritamente estéticos.

Proposto a partir de 59.452 euros, o Q4 e-tron Sportback 50 quattro é ligeiramente mais caro do que o Q4 e-tron 50 quattro, mas oferece uma melhor eficiência, enquanto a agradabilidade de condução está ao nível do que se espera de um Audi. Relativamente aos principais concorrentes como o Mercedes-Benz EQA 350 4 MATIC ou o Volvo XC 40 P8 Recharge, o posicionamento é relativamente competitivo (sem opcionais), isto é, mais barato do que o modelo alemão e um pouco mais caro do que o sueco.

 

Gostámos Gostámos

Sistema regeneração

O sistema de travagem regenerativa revelou-se extremamente eficiente, permitindo recuperar alguma autonomia durante a condução. A maior eficácia é obtida com o modo de condução B e a seleção da intensidade máxima nas patilhas atrás do volante.

Habitabilidade traseira

Não obstante a descida da linha do tejadilho a partir do pilar B e uma menor altura total, a habitabilidade traseira continua a ser bastante boa e só mesmo um jogador da NBA poderá reclamar de viajar com a cabeça encostada ao tecto.

Comandos táteis

Com exceção dos comandos físicos dos vidros e das luzes de emergência, todos os outros são táteis e sensíveis ao toque, contribuindo para uma maior intuição e segurança na condução, já que evita eventuais distrações ao volante.

Não Gostámos Não Gostámos

Muitos opcionais

Apesar do competitivo preço base de 59.542 unidades, a lista de opcionais é bastante extensa, elevando o valor a pagar pela unidade ensaiada para os 83.402 euros. Entre os extras está incluído o pacote de equipamento S Line.

Fichas USB-C

Decididamente, os alemães (não só os do Grupo Volkswagen) aderiram ao padrão USB-C para carregamento de dispositivos móveis. O Q4 e-tron Sportback até tem quatro no habitáculo. mas nenhuma ficha USB normal para determinados equipamentos.

Conforto

A suspensão do Q4 e-tron Sportback foi concebida para o bom piso das estradas alemãs. Em superfícies mais degradas tem dificuldade em absorver as irregularidades e os buracos, penalizando o conforto a bordo, já que se sentem todos os ressaltos.


Audi Q4 e-tron Sportback 50 quattro

Preço 59.452 € (83.402 € unidade ensaiada)  

Motor Elétrico
Potência 220 kW (299 cv)
Binário 460 Nm
Transmissão Auto, 1 vel.
Bateria / Autonomia 88 kWh / 495 km
Peso 2215 kg
Comp./Larg./Alt. 4,59/1,87/1,61 m
Dist. entre eixos 2,76 m
Mala 535 – 1460 l
Desempenho 6,2 0-100 km/h; 180 km/h Vel. Máx. (limitada)
Tempo de carga 34 minutos (80%) a mais de 12h30 horas
Consumo 17,7 (18,5*) kWh/100 km
Emissões CO2 0 g/Km

* Medições Turbo

Equipamento
Série:  Ar condicionado automático, Audi Drive Select, fecho centralizado com sistema keyless go, sensores de luz e chuva, front assist, controlo eletrónico de estabilidade, aviso de saída de faixa de rodagem, limitador de velocidade, suspensão Comfort, airbag duplo e laterais, sistema acústico de alerta para peões, sistema de monitorização da pressão dos pneus, tração integral permanente quattro, abertura e fecho elétrico da bagageira