Publicidade

Lamborghini Sián faz estreia dinâmica ao lado da Ducati Diavel 1260

Texto: Carlos Moura
Data: 26 de Novembro, 2020

O novo Lamborghini Sián – um hipercarro híbrido com um motor V12 eletrificado de 808 cv – foi acompanhado na sua estreia dinâmica pela moto desportiva Diavel 1260 da Ducati, também apresentada pela primeira vez.

Limitada a 630 unidades, a Ducati Diavel 1260 Lamborghini recebeu a mesma decoração Verde Gea e Oro Electrum do Sián e viu serem substituídos alguns componentes em relação ao modelo base para diminuir o peso e melhorar as prestações.

Os tubos de escape hexagonais e um motivo subtil em forma Y inspiram-se nas modernas linhas de design da Lamborghini.

Enquanto o Sián recebeu o número 37, relativo ao ano de nascimento do presidente do Grupo Volkswagen Ferdinand Piech, a moto ostenta o número 63, relativo a 1963, o ano de fundação da Ducati. Ambos os modelos podem ser vistos num video publicado pela Ducati no canal Youtube.


“Estamos convencidos que o nosso design é forte e um dos mais reconhecidos no setor automóvel. A silhueta única, limpa mas extremamente distinta, define a base da nossa linguagem de design”, refere Mitja Borkert, responsável de design da Lamborghini.

LEIA TAMBÉM
Lamborghini Sián terá 19 Roadster e 63 Coupés. E há uma boa explicação para tal!

“A nossa abordagem visionária de design permite transferir o nosso ADN para outros produtos: isto foi alcançado através de um forte trabalho de equipa, partilhando o nosso o estilo e a vantagem de serem duas marcas inspiradas pelos mesmos valores e a aposta na ‘diversão de condução’.”

Homenagem a Ferdinand Piëch

O Sián é o carro mais potente e com melhor aceleração jamais produzido pela Lamborghini. Quando este modelo surgiu pela primeira vez no ano passado, a marca anunciou que o iria produzir como Sián FKP 37, em homenagem ao antigo patrão do Grupo Volkswagen Ferdinand Piëch, que faleceu no mês passado.

A. Ferraresi, Diretor Centro Stile Ducati e M.Borkert, Chefe de Design da Automobili Lamborghini

Nascido em 1937 desempenhou um papel crucial para trazer a Lamborghini para o seio do Grupo Volkswagen em 1998, ajudando o fabricante italiano a introduzir o supercarro Murciélago no mercado.

“O Professor Dr. Piëch compreendeu a atração e o potencial da marca Lamborghini e como poderia encaixar-se no Grupo Volkswagen, mantendo, no entanto, a sua identidade única de supercarros desportivos italianos, assim como o ADN de design e engenharia””, comentou Stefano Domenicali, CEO da Lamborghini.

“O Professor Piëch era um engenheiro e um inovador, que apreciava a apelativa e icónica motorização V12 da Lamborghini, que está atualmente disponível no Sián FKP 37 em combinação com pioneiras tecnologias híbridas”.

O motor aspirado de doze cilindros e 6,5 litros viu a potência aumentar de 759 cv para 774 cv com a inclusão de válvulas de admissão em titânio e um motor elétrico de 48V de 34 cv, permitindo oferecer uma potência combinada de 808 cv.

A Lamborghini reivindica ter sido a primeira marca a utilizar uma motorização híbrida de baixa voltagem, estando o motor elétrico integrado na caixa de velocidades e ligado às rodas para facilitar as manobras em márcha-atrás e de estacionamento. O som típico do motor da Lamborghini foi preservado para satisfação dos muitos fás da marca desportiva italiana.