Publicidade

Jeep Avenger 4xe ganha tração integral e já é TT a sério!

Texto: António Amorim
Data: 23 de Maio, 2024

Chama-se Avenger 4xe e debita 136 cv. Tem um motor elétrico adicional no eixo traseiro e visual distinto. Encomendas começam no último trimestre deste ano.

O Jeep mais pequeno de sempre não deixa de ser um verdadeiro Jeep. Especialmente agora, que acaba de receber a sua versão equipada com tração integral. Com uma aparência “à prova de bala”. 

É um híbrido ligeiro, não recarregável na tomada, com o mesmo sistema e-Hybrid de 48 Volts conhecido da existente versão de 101 cv. Mas agora com um motor elétrico adicional no eixo traseiro. Consegue assim garantir tração integral a todo o momento, até aos 90 km/h. Mas tem ainda uma redutora traseira para “trepar paredes” e eixo traseiro do tipo multilink para maior conforto.

“Gostamos de dizer que o Avenger 4xe não é uma versão, mas sim um carro novo”, afirmam os rersponsáveis da Jeep. E com uma certa razão. Porque são imensas as alterações face ao modelo base, para que o Avenger 4xe passe a garantir verdadeiras capacidades para todo-o-terreno dignas de um Jeep. E parece isso mesmo: um pequeno Jeep, para aventura constante.

A função Select Terrain, operada a partir de um botão na consola, permite escolher entre quatro modos de condução: Auto, Snow (neve), Sand & Mud (areia e lama) e Sport, este com função e-boost. E o motor do eixo traseiro assegura tração em pendentes de até 40%, mesmo em pisos escorregadios do tipo cascalho porque inclui uma redutora! 

Aspecto robusto

Logo na aparência o Avenger 4xe demonstra ao que vem. Dá prioridade à proteção da carroçaria mas também aos ângulos de ataque, ventral e de saída. Daí a distância entre eixos curta. 

A altura ao solo foi aumentada em 10 mm, para 210 mm totais; há proteções inferiores a toda a volta da carroçaria, com materiais preparados para resistir aos riscos e impactos. As formas da parte inferior dos para-choques também são mais verticais. Para maiores ângulos de todo-o-terreno. E consegue atravessar riachos com 40 cm de altura de água. Não é muito, mas é bem melhor do que os 23 cm da versão normal.

Esta versão 4×4 do pequeno Avenger tem ainda de série as barras no tejadilho. Para assegurar vantagem aos amantes da vida desportiva e ao ar livre. Podem assim transportar mais facilmente os caiaques, as bicicletas ou mesmo as rodas ou depósitos extra para atravessar fronteiras se quiserem.

LEIA TAMBÉM
Jeep Renegade e Compass. Versões e-Hybrid já estão disponíveis em Portugal

Mas as diferenças são também óbvias na forma dos guarda-lamas dianteiros. Permitem expor melhor a roda na abordagem ao calhau, defendendo assim a carroçaria. Ou mesmo nas próprias rodas, pintadas de preto para se manterem com bom aspeto por mais tempo. E passíveis de ser forradas com pneus M+S de série (!) ou mesmo com borracha All Terrain (de inverno) em opção.

A marca pensou em tudo e até disponibiliza uma tela autocolante escura para colar no capot. Objetivo: matar os reflexos do sol nas acentuadas inclinações quando o Avenger 4xe anda por montes e vales. Também há ganchos de reboque integrados e os faróis de nevoeiro estão posicionados mais acima e nos vértices.

Mais: no habitáculo a alcatifa dura o dobro do tempo porque é impermeável e lavável, tal como os bancos. 

Mecânica específica

Aguardamos ainda a oportunidade de o experimentar, mas para já o Jeep Avenger 4xe suscita muita curiosidade na utilização fora de estrada e não só. De dimensões muito compactas e aparência “blindada”, fica bem em qualquer fotografia e promete simplicidade de condução. 

A unidade motriz envolve o motor a gasolina de 1.2 litros com 101 cv, ao qual está acoplado um primeiro motor elétrico de 36 cv e a caixa automática de seis velocidades com dupla embraiagem. Tudo isto no eixo dianteiro. Um segundo motor elétrico igual (mais 36 cv) está acoplado ao eixo traseiro. Este motor, desligado mecanicamente do eixo da frente, recebe ainda ajuda de um grupo redutor de 22,7:1 e pode assegurar locomoção elétrica pura a baixas velocidades. 

Outro detalhe específico é a suspensão traseira, que neste 4xe é do tipo multilink, para maior conforto, assegura a marca, embora seja sabido que, em situações radicais o tradicional eixo rígido teoricamente funcionaria melhor. Veremos.

Os 136 cv de potência combinada são suficientes para uma velocidade máxima de 194 km/h (mais 10 km que o e-Hybrid 4×2) e uma aceleração 0-100 km/h de 9,5 segundos. 

Como funciona

Até aos 30 km/h o Avenger 4xe é um 4×4 permanente, com repartição 50:50. Entre os 30 e os 90 km/h a tração traseira ativa-se quando necessário de forma automática, tal como o reparte, que pode ir até 50:50. Acima dos 90 km/h o carro só anda com tração dianteira para poupar combustível. Resumindo: a tração integral está sempre disponível, exceto acima dos 90 km/h.

O preço, ainda não comunicado, espera-se algures entre a versão térmica base (25 mil euros) e a versão elétrica pura (38 mil euros), sabendo-se que o e-Hybrid 4×2 ronda os 28 mil.

Cá o esperamos para os ensaios. Fique atento.