Publicidade

Jaguar Land Rover. Crise do COVID-19 obriga a adiar lançamentos

Texto: Carlos Moura
Data: 18 de Setembro, 2020

A Jaguar Land Rover viu-se na contingência de adiar lançamentos de novos modelos devido à crise do COVID-19, designadamente um Range Rover elétrico e o novo Jaguar XJ, também elétrico. Apesar do atraso serão apresentados ainda este ano.

Os executivos de topo da Jaguar Land Rover confirmaram a existência de um Range Rover elétrico e o adiamento do lançamento do Jaguar XJ elétrico devido à crise do COVID-19.

Numa conferência com investidores, o administrador financeiro da Jaguar Land Rover, Adrian Mardell, afirmou que os novos modelos elétricos serão apresentados em outubro e novembro. Inicialmente, a estreia estava agendada para agosto e setembro, respetivamente.

Os dois modelos serão baseados na nova plataforma MLA da Jaguar Land Rover e serão gémeos na parte inferior. Pouco se sabe acerca do Range Rover elétrico, mas deverá ter um posicionamento inferior ao Velar e talvez uma dimensão semelhante.

Os dois novos modelos serão fabricados na renovada fábrica de Castle Bromwich. Adrian Mardell também falou acerca de um novo produto mistério chamado “MLA MID”, que também foi adiado.

Trabalho continuou durante confinamento

O administrador financeiro do fabricante britânico disse aos investidores que o trabalho de engenharia na próxima geração do Range Rover e Range Rover Sport não foi interrompido durante o confinamento. O trabalho no Defender 90 também continuou.

Durante a conferência, um investidor em representação de um banco internacional questionou Mardell acerca dos planos da Jaguar Land Rover para reduzir o investimento em modelos futuros, com um novo valor de três mil milhões de libras, isto é, menos mil milhões de libras do que previsto inicialmente.

LEIA TAMBÉM
Jaguar Land Rover. Eletrificação e conectividade são base para o futuro

Mardell descreveu o investimento de três mil milhões de libras como um um “passo em frente” e revelou que o planeamento da Jaguar Land Rover reduziu o número de derivativos dos futuros modelos para poupar dinheiro.

Mardell também adiantou que o negócio da Jaguar Land Rover está repensado – ajudado pela mudança para uma única plataforma – para aumentar o volume de produção para perto das 500 mil unidades por ano.

Antes da crise do COVID-19, a Jaguar Land Rover vendia cerca de 550 mil vehículos por ano. Ele defendeu que a empresa poderia aumentar as vendas até às 550 mil unidades ou mesmo às 600 mil unidades por ano, dando a entender que a Jaguar Land Rover poderia ser bastante rentável com esse volume.

Relativamente às vendas do novo Defender, Adrian Mardell adiantou que o fabricante espera alcançar um volume anual de vendas de 100 mil unidades.