Publicidade

Base para 17 novos EV. Hyundai prepara lançamento de nova plataforma IMA

Texto: Francisco Cruz
Data: 6 de Março, 2022

A Hyundai acaba de agendar para 2025, a apresentação daquela que será a sua nova plataforma modular para veículos elétricos, denominada Integrated Modular Architecture (IMA). E que servirá de base a um total de 17 novos veículos elétricos (EV), a lançar durante os próximos oito anos.

Esta nova plataforma Integrated Modular Architecture (IMA), noticia a britânica Autocar, deverá permitir, igualmente, aumentar as autonomias, face àqueles que são os resultados com a atual E-GMP, utilizada em propostas como o Hyundai Ioniq 5, o Kia EV6 ou o Genesis GV60.

A ajudar a esta meta, o facto da plataforma IMA, cuja chegada está agora prevista para 2025, utilizar unidades padronizadas de acomodação de células de energia (cell-to-pack) e que podem ser instaladas, segundo a Hyundai, de forma flexível e de acordo com as necessidades de cada veículo, ao invés dos packs de baterias, bastante mais standardizados.

O Ioniq 5 é um dos EV da Hyundai que tem por base a plataforma E-GMP. Foto: Turbo
O Ioniq 5 é um dos EV da Hyundai que tem por base a plataforma E-GMP. Foto: Turbo

Segundo a Hyundai, esta nova solução vem permitir aumentar a densidade das células, ao mesmo tempo que diminui os tempos de carregamento.

Recordar que esta nova plataforma foi detalhada durante o Dia do Investor Hyundai, data em que o gigante sul-coreano também anunciou uma ambiciosa estratégia de investimento na ordem dos 14,3 mil milhões de euros, com o propósito de aumentar as vendas anuais de veículos elétricos (EV), para os 1,87 milhões de unidade, até 2030. Valor que deverá representar qualquer coisa como 7% do mercado mundial de EV.

LEIA TAMBÉM
Com a família Ioniq no centro. Hyundai será 100% elétrica na Europa em 2035

Deste plano faz parte, não somente a apresentação de uma nova plataforma específica para EV, como também o lançamento de um total de 17 modelos a bateria – 11 com o emblema da Hyundai, seis no âmbito da marca de luxo Genesis -, ao longo dos próximos oito anos.

No caso dos elétricos Hyundai, a marca revelou já que três serão berlinas (um dos quais, diga-se, é o Ioniq 6, agendado ainda para este ano de 2022), seis serão SUV, um será um veículo comercial, e o último será “um novo tipo de modelo”, anunciou o fabricante, sem, no entanto, divulgar mais informações.

Entretanto, a Hyundai agendou já a apresentação do Hyundai Ioniq 7, um SUV topo de gama de dimensões generosas, para 2024.

Um dos poucos teasers já divulgados do futuro SUV elétrico topo de gama da Hyundai, Ioniq 7
Um dos poucos teasers já divulgados do futuro SUV elétrico topo de gama da Hyundai, Ioniq 7

Já a Genesis, deverá dar a conhecer, no âmbito desta ofensiva elétrica, dois desportivos e quatro SUV. A começar, pelo Electrified GV70, cuja chegada deverá ter lugar ainda este ano, ao passo que os modelos puramente elétricos, só deverá começar a chegar em 2025.

Produção mais eficaz e melhores baterias também são objetivos

Finalmente e a parte destas novidades, a promessa, igualmente, de implantação de um novo “processo de fabricação de alta eficiência para produção de veículos elétricos a bateria”, assim como uma “plataforma de inovação de fabricação centrada no ser humano”. Missão que está a cargo do Centro de Inovação da empresa, em Singapura.

Baterias de estado sólido
Baterias de estado sólido

Quanto às baterias, a Hyundai anunciou que pretende obter metade das suas “baterias de iões de lítio de próxima geração” através de parcerias com fabricantes mundiais deste tipo de equipamentos, com o objectivo de garantir uma potência total de 170 GWh em baterias, até 2030. Isto, ao mesmo tempo que promete continuar a trabalhar com parceiros visando aumentar a densidade de energia e a eficiência de custos, não descartando, igualmente, a introdução de baterias de estado sólido.

Software não é esquecido

Já no capítulo do software, área em que a Hyundai pretende investir perto de 9 mil milhões de euros, a empresa propõe começar a atualizar os seus carros novos, via wireless, já no final de 2022, alargando essa mesma funcionalidade a toda a sua oferta, em 2025. Sendo que, também neste domínio, o fabricante espera vir a gerar, já a partir de 2030, cerca de 30% das suas receitas, graças a negócios relacionados com o software.