Mobieco

Publicidade

Com gama elétrica. General Motors quer voltar à Europa

Texto: Carlos Moura
Data: 20 de Junho, 2022

A General Motors está a preparar o regresso à Europa com uma gama elétrica, baseada em modelos da marca Cadillac e também com o GMC Hummer. 

Após a saída do mercado europeu com a venda da Opel ao Grupo PSA, que atualmente integra a Stellantis, a General Motors quer regressar à Europa, onde quer vender veículos elétricos da marca Cadillac, assim como o GMC Hummer.

Um dos primeiros modelos a ser exportado para a Europa deverá ser o Cadillac Lyric. A homologação deste veículo elétrico não deverá ser muito complicada porque não terá passar por um conjunto exigente de normas de emissões.

Como a Cadillac pretende investir apenas em veículos elétricos, a lógica da General Motors será lançar os seus veículos no mercado europeu, onde começam a ter uma maior expressão nas vendas. Isto vem de encontro à estratégia desta marca, pois anunciou que, a partir de agora, só vai lançar veículos elétricos e que a partir de 2030 a oferta será exclusivamente elétrica.

A razão que leva o construtor a querer lançar o gigantesco GMC Hummer no mercado europeu não é tão clara, mas esta marca tem optado por não fazer comentários relativamente ao seu portefólio futuro no Velho Continente.

Segundo maior mercado

Apesar de ter saído do mercado europeu em 2017 quando vendeu a Opel e à Vauxhall à atual Stellantis, a General Motors nomeou um novo diretor da GM Europe em 2021. Antes de iniciar funções, Mahmoud Samara era vice-presidente da Cadillac para o mercado norte-americano com responsabilidades nas áreas das vendas, assistência e marketing.

LEIA TAMBÉM
Agora apenas com EV. General Motors prepara regresso à Europa

“A Europa é o segundo maior mercado de veículos elétricos do mundo e aquele que cresce mais rapidamente, o que representa um excelente oportunidade, pois a General Motors está a lançar um amplo e avançado portefólio de veículos elétricos juntamente com software novo e inovador, tecnologia autónoma e serviços de logísticos”, afirmou recentemente Samara.

Evidentemente que a Europa parece estar preparada, política e geograficamente, para veículos elétricos. A Noruega, por exemplo, onde os veículos elétricos representam uma fatia cada vez maior nas vendas, é encarada por muitos construtores como um mercado importante para veículos “verdes”, apesar da sua reduzida dimensão.