Publicidade

Depois da desconfiança. Condutor mostra em vídeo atuação do FSD da Tesla

Texto: Redação
Data: 26 de Outubro, 2020

Numa altura em que a decisão da Tesla, de disponibilizar versões Beta do seu futuro sistema de condução autónoma, a alguns condutores pré-seleccionados, surge no centro da polémica, nos EUA, um desses condutores, decidiu fazer dois vídeos sobre a utilização do Tesla Full Self-Driving, ou FSD. E a verdade é que, o resultado final, parece ser bastante positivo…

Os vídeos em questão foram realizados por James Locke, proprietário de um Tesla Model 3, e que foi um dos condutores escolhidos pela marca norte-americana, para testar, nas vias públicas, aquela que é a versão Beta do novo sistema de condução 100% autónoma que o fabricante quer passar a disponibilizar, até ao final do ano, nos seus veículos.

Denominada Tesla Full Self-Driving (FSD), esta nova funcionalidade foi, assim, colocada à prova, em duas viagens, de mais 30 minutos, entre as localidades de Santa Clarita e Pasadena, na Flórida, EUA. Ambas realizadas no passado dia 23 de outubro.

Embora tratando-se, maioritariamente, de auto-estrada, o trajecto conta, no entanto, também com uma parte em cidade, com muitos sinais luminosos, curvas e mudanças de direcção. Isto, além do trânsito normal numa zona especialmente populosa.

LEIA TAMBÉM
Para já, numa versão Beta. Tesla disponibiliza condução 100% autónoma

De resto e conforme o leitor poderá assistir, nos vídeos em anexos, o sistema FSD da Tesla acaba mostrando-se surpreendentemente capaz, nomeadamente, ao lidar com sinais luminosos, sinais de Stop mudanças de faixa e mudanças de direcção. Isto, apesar de tratar-se de uma versão Beta, o que significa que se trata de uma base simplificada, que ainda não permite que o carro resolva todas as situações sozinho.

O Tesla Model 3

Aliás e segundo revela o próprio condutor, que nunca deixou de manter a atenção face à condução, houve situações em que foram necessárias “alguma intervenção humana”. Já que, em alguns momentos, o FSD não só se mostrou particularmente lento a reagir, como também houve mudanças de direcção que não foram cumpridas da forma mais correcta. Nomeadamente, com o Model 3 a “esquecer-se” de fazer o sinal de pisca.

Ainda assim, o mesmo condutor não tem dúvidas em qualificar de “positivo” o desempenho da nova tecnologia, desde logo, por se tratar de uma versão Beta e, enquanto tal, ser apenas uma base para desenvolvimento. Sendo igualmente importante destacar o facto do sistema da Tesla conseguir fazer tudo isto, sem muito do hardware que outras soluções utilizam, como é o caso dos equipamentos LIDAR.

Confirmada, parece ficar, a boa base de trabalho que a Tesla tem em mãos, e que, agora, apenas há que desenvolver e melhorar…