Fórmula 1 vs Fórmula E: quem ganha mais?

Texto: Filipe Bragança
Data: 3 Maio, 2019

Ambos os campeonatos reúnem alguns dos pilotos mais bem pagos do mundo.

Se compararmos os salários dos pilotos da Formula 1 e da Fórmula E, verificamos que os corredores dos motores térmicos ganham mais. Muito mais! Ainda assim, algumas das equipas do campeonato mundial de eléctricos estão preocupadas com a recente inflação nas remunerações pagas aos seus pilotos.

(Lewis Hamilton, no grande prémio da China, 2019)

De acordo com diversas fontes, o salário de um piloto de topo da Fórmula E ronda os 1,5 milhões de euros, sem contar com os prémios de prova e os extras auferidos com publicidade. Tendo estes números em consideração, rapidamente se concluí que estes valores estão bastante aquém daqueles apresentados pelos condutores da F1.

Lewis Hamilton, por exemplo, aufere um salário que ronda os 40 milhões de euros e Sebastian Vettel 35,5 milhões. Ou seja, cada um deles ganha praticamente o mesmo que toda a grelha de partida do campeonato de monolugares elétricos.

(Luca di Grassi, piloto Audi Sport ABT Schaeffler)

Em relação ao vencimento destes pilotos, um salário de topo da Fórmula E equipara-se aquele de um piloto de Fórmula 1 menos consagrado.

O responsável da Panasonic Jaguar Racing e director da Associação de Equipas e Construtores da Fórmula E, James Barclay ressalva que “a ética de custos reduzidos da prova poderá ser posta à prova com este aumento exponencial dos salários”.

Em contrapartida, Dieter Gass, responsável da Audi Sport referiu que “todos os pilotos que recebem esses valores mais  elevados o merecem, devido à especialidade desta competição”.

Dieter sublinhou ainda: “No final do dia, a Fórmula E é um campeonato onde o piloto faz a diferença. Tu pagas o que tu quiseres a quem tu quiseres, pelos objectivos a que te propões. Se o melhor piloto custar determinada quantia para ganhar, então tu vais pagá-la”.

 

Veja também:

Fórmula E: Veja todos os vídeos da Porsche
Pininfarina Battista supera os Fórmula 1
Uma breve história das equipas de Fórmula 1
Recorde quando Blomqvist voou a 189 km/h na Argentina

 

Fonte: E-Racing365; Racing-Elite, F1i