Publicidade

Purosangue. Primeiro SUV da Ferrari vai receber motor V12

Texto: Carlos Moura
Data: 5 de Maio, 2022

O Ferrari Purosangue, o primeiro SUV da marca do Cavallino Rampante, vai receber um potente motor V12, para oferecer as prestações e a experiência de condução que os futuros proprietários esperam deste fabricante, segundo adiantou o CEO Benedetto Vigna durante a apresentação de resultados relativa ao primeiro trimestre.

O primeiro SUV da Ferrari, Purosangue, vai ser equipado com o motor V12 mais potente da marca do Cavallino Rampante. O CEO do fabricante italiano de automóveis desportivos de luxo, Benedetto Vigna, afirmou que foram testadas várias opções, mas ficou evidente que o V12, pelas prestações e experiência de condução que pode proporcionar, era a “opção certa” para o mercado.

Segundo o Automotive News Europe, Benedetto Vigna terá feito esta afirmação durante a apresentação de resultados relativos ao primeiro trimestre deste ano. Apesar da tumultuosa situação política, a procura de automóveis desportivos continua elevada, o que se traduziu num crescimento de 12% no volume de negócios da Ferrari. 

“O Purosangue é filho da nossa tradição”, sublinhou Benedetto Vigna. Contudo, a escolha do motor mais potente para o primeiro SUV da marca constitui uma ruptura com a recente estratégia da Ferrari que privilegiou a utilização de motores menos poluentes V8 e V6 híbridos, com é o caso do 296 GTS, recentemente apresentado.  

Produção já esgotada

Veterano da indústria tecnológica, Benedetto Vigna assumiu o destinos da Ferrari no passado de mês de setembro, tendo sido incumbido de levar a marca para uma nova era de mobilidade elétrica mais limpa e silenciosa. A marca já apresentou quatro modelos híbridos e prometeu um automóvel elétrico em 2025. 

LEIA TAMBÉM
Apanhado em Fiorano. Ferrari Purosangue dá um ar da sua graça em vídeo

No que se refere aos resultados financeiros no primeiro trimestre, o EBITBA (lucros antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações) foi de 443 milhões de euros, graças, sobretudo às encomendas do Daytona SP3, um dos modelos mais recentes e que terá uma produção limitada a 500 unidades, custando cada um dois milhões de euros.

“Estes resultados foram alcançados graças ao elevado volume de encomendas nestes primeiros três meses de 2022 e quase todos os nossos modelos estão esgotados até 2023”, sublinhou o CEO da Ferrari.