Mobieco

Publicidade

Em 2035. Europa precisará de 65 milhões de carregadores para eléctricos

Texto: Redação
Data: 20 de Fevereiro, 2022

Com o aumento exponencial do número de carros eléctricos nas estradas, a Europa irá precisar de 65 milhões de carregadores, daqui a 12 anos. A maior parte serão residenciais, mas será também necessário um plano ambicioso para a instalação de pontos de carregamento públicos.

Segundo um estudo elaborado pela Ernst&Young, assim como pela associação europeia do sector da electricidade, Eurelectric, irão circular 130 milhões de carros eléctricos nas estradas europeias, em 2035. Este número representa um salto gigante face à realidade actual, o qual irá exigir também uma grande quantidade de postos de carregamento.

O mesmo estudo antevê que sejam necessários 65 milhões de carregadores para estes carros, camiões e autocarros. Sendo que, deste número, 85% serão infraestruturas de carregamento do tipo residencial.

O carregamento residencial é uma das áreas a necessitar maior investimento
O carregamento residencial é uma das áreas a necessitar maior investimento

O maior desafio para a Europa, de acordo com a Automotive News, que divulga o estudo, será a expansão de uma rede de mais de 9 milhões de carregadores ao longo de estradas, escritórios, e estações de carregamento para frotas. A tarefa é ainda mais difícil porque, à data, existem apenas 445.000 pontos de carregamento públicos instalados na Europa.

LEIA TAMBÉM
Procura um EV mais acessível? Eis cinco propostas abaixo dos 30 mil euros

“Demorámos 10 anos a instalar 400.000 carregadores”, diz Serge Colle, Director de Energia e Recursos Globais da Ernst&Young. Acrescentando que, para chegar aos 9 milhões até 2035, será necessário “instalar 500.000 [pontos de carregamento] todos os anos, até 2030”.

 Ente 2030 e 2035, o ritmo de instalação de novos carregadores deverá subir um milhão, ano.

A empresa co-responsável pelo estudo estima que esta operação massiva custará 62 biliões de dólares (54,8 biliões de euros), um valor, ainda assim, atrás dos 63,64 mil milhões de euros necessários para a instalação de 56 milhões de pontos de carregamento residenciais.

cSegundo o estudo da Young&Rubicon e da Eurelectric, a Europa precisa de 65 milhões de carregadores
Segundo o estudo da Young&Rubicon e da Eurelectric, a Europa precisa de 65 milhões de carregadores

Apesar de tudo, Kristian Ruby, secretário geral da Eurelectric, defende que é preferível instalar a mais e ter essa margem de segurança, do que “esperar e descobrir, demasiado tarde, que o número de carregadores não chega”.

Gestão do consumo de energia

Para além da coordenação da instalação de milhões de pontos de carregamentos, o sector eléctrico europeu terá de gerir uma maior carga sobre a rede eléctrica. Já que, não só será necessário disponibilizar carregamentos ultra-rápidos nos postos de serviço das auto-estradas, como também será preciso controlar o aumento do consumo nas horas de ponta, de acordo com as estimativas da Ernst&Young.

A sobrecarga da rede elétrica, previsível com 130 milhões de EV a circularem nas estradas europeias, é uma das preocupações deste estudo
A sobrecarga da rede elétrica, previsível com 130 milhões de carros eléctricos a circularem nas estradas da Europa, é uma das preocupações deste estudo

Para ultrapassar estes picos de procura, especialmente, quando os condutores regressam a casa, será necessária a instalação de sistemas de armazenamento de energia (solar ou não) nas estações de carregamento.

Outras medidas possíveis serão a oferta de incentivos a quem carregue noutros momentos (em horas de Vazio, por exemplo), ou mesmo a possibilidade de fornecer energia da bateria do carro eléctrico para a rede, caso seja conveniente.