Publicidade

Em julho. Novo Dacia Sandero proclama-se rei da Europa

Texto: Francisco Cruz
Data: 30 de Agosto, 2021

Sinónimo, ou não, do momento que o Velho Continente atravessa, julho acaba de empossar um novo rei do mercado automóvel, na Europa – o novo Dacia Sandero. Modelo low-cost que acaba de destronar o, até aqui, incontornável Volkswagen, numa disputa renhida e com fraca margem…

De resto e embora a distância entre ambos os modelos seja marginal, a verdade é que esta não é a primeira vez que o Dacia Sandero destrona o Volkswagen Golf. Pelo contrário, logo aquando do lançamento, em 2008, o modelo romeno conseguiu ultrapassar a proposta alemã, não conseguindo, contudo, manter, por muito tempo, a liderança da tabela vendas europeia.

Num mercado em que os hatchbacks do segmento C continuam a dominar entre os modelos mais vendidos, com quatro representantes nos cinco primeiros lugares, segundo dados recolhidos pela JATO Dynamics, com base nos resultados de 26 mercados europeus, o facto da venda de automóveis na Europa ter voltado a cair, em julho, 24%, também poderá explicar a opção por modelos mais acessíveis e económicos. Também porque, devido às incidências da pandemia, os clientes europeus poderão estar a retrair-se quanto a investimento de maior monta.

Renovado em 2020, o Dacia Sandero está a conquistar os europeus
Renovado em 2020, o Dacia Sandero está a conquistar os europeus

Ainda assim e conforme nota a Automotive News Europe, no que diz respeito às vendas do último mês completo, realce-se o facto do Sandero ter batido o Golf por pouco mais de 1.000 unidades. Sendo que a Volkswagen continua a manter três modelos entre os cinco mais vendidos – Golf, Polo e T-Roc -, o que dificilmente poderá ser considerado um mau resultado para a marca alemã.

LEIA TAMBÉM
Renovados de cima a baixo. Dacia Sandero, Stepway e Logan desvendados

No terceiro lugar, entre os modelos mais vendidos na Europa, em julho, surge, contudo, não um modelo alemão, mas um japonês – o Toyota Yaris. Proposta que mantém, assim, o lugar mais baixo do pódio, assistindo, “de camarote”, à luta, encarniçada, pelo topo do classificação.

Entretanto e com 2021 ainda a meio, resta ver como avançar o mercado automóvel europeu, em termos de vendas, fruto não apenas da pandemia de Covid-19, mas também de vários outros condicionalismos, como é o caso da escassez de semicondutores.