Publicidade

Faltam 100. Bugatti já produziu 400 unidades do superdesportivo Chiron

Texto: Carlos Moura
Data: 31 de Outubro, 2022

Já foram produzidas 400 unidades do Bugatti Chiron, faltando fabricar apenas mais 100 deste superdesportivo até se esgotar o volume previsto para este modelo que graças à combinação do motor W16 de 1600 cv e à caixa de dupla embraiagem consegue acelerar dos 0 aos 300 km/h em 12,1 segundos! 

Lenta mas solidamente, a Bugatti está a avançar com o seu plano de produção para o superdesportivo Chiron. A marca francesa acabou a montagem da 400ª unidade na sua sede em Molsheim, após um processo de produção que demorou cerca dois meses.

Uma equipa de 20 experientes mecânicos e artesão montaram cerca de 1800 componentes individuais naquilo que é agora um novo Chiron Super Sport que está à espera de ser entregue ao novo proprietário.

Bugatti Chiron 400

Como não há dois Chiron iguais, a 400ª unidade não é exceção. O superdesportivo tem uma carroçaria em fibra de carbono com pintura em cor verde escolhida pelo cliente.

A Bugatti refere que a criação deste acabamento exige “muita paciência e uma atenção meticulosa ao detalhe”. A trama da fibra deve fluir na direção correta em todo o carro e em todos os painéis. Isto obriga a que cada painel seja cortado de uma forma específica.

LEIA TAMBÉM
Decisão tomada. Bugatti descarta EV ainda durante a presente década

No que se refere às ligações ao solo, os pneus são montados em jantes leves mas resistentes do Chiron Super Sport. A cobertura do motor tem um ligeiro mas subtil contraste na pintura Nocturne, enquanto alguns apontamentos sombreados Fierce são utilizados em alguns componentes do exterior.   

Motor W16 de 1600 cv

Por baixo do compartimento do motor não há novidades. O motor W16 de oito litros com quatro turbos da Bugatti é a força motriz do Chiron Super Sport, desenvolvendo uma potência de 1600 cv.

VEJA IMAGENS DO BUGATTI CHIRON Nº 400

Graças à maior dimensão do quarteto de turbos e um aumento da rotação do motor para 7100 rpm, este propulsor tem mais 100 cv do que o Chiron de 2016. O motor está acoplado a uma transmissão de dupla embraiagem de sete velocidades que permite ao Chiron acelerar dos 0 aos 300 km/h em apenas 12,1 segundos. A velocidade máxima é de 440 km/h.

Após a montagem da 400ª unidade do Chiron ficam a faltar apenas 100 até à produção terminar deste superdesportivo. O motor W16 irá continuar e será usado no roadster Mistral, assim como no modelo de pista Bolide.