Publicidade

Com uma excepção. Audi confirma fim dos motores de combustão para 2033

Texto: Francisco Cruz
Data: 23 de Junho, 2021

Numa altura em que o tema parece estar na ordem do dia, a Audi acaba de confirmar, de forma oficial, aquilo que aqui já noticiámos: a marca dos quatro anéis deixará de lançar novos modelos com motor de combustão, já em 2026. Sendo que, automóveis com este tipo de propulsão, deixarão de ser, pura e simplesmente, produzidos, em 2033.

O anúncio, feito de forma oficial, surge depois , nas últimas semanas, terem surgido notícias segundo as quais a Audi estaria a pensar seguir o caminho de outras marcas automóveis e, simplesmente, abandonar os motores de combustão, tornando-se numa marca exclusivamente elétrica.

A última notícia sobre o tema havia sido avançada pelo jornal alemão Süddeutsche Zeitung, que citado pela agência noticiosa Reuters, garantia que o fim dos motores térmicos, na marca de Ingolstadt, estava para breve.

Poderá a nova geração A3 ser o último modelo da Audi com motor de combustão?

Neste artigo, a publicação avançava que 2026 seria o ano em que a Audi lançaria o seu último modelo com motor de combustão, com a intenção a ser reafirmada no também alemão Handelsblatt, publicação que anunciava aqueles que seriam os planos da marca dos quatro anéis, relativamente ao descontinuar gradual dos motores a gasolina e Diesel.

LEIA TAMBÉM
Ainda para esta década. Audi decreta morte dos motores de combustão

Entretanto e com as notícias a tornarem-se insistentes, a Audi acaba de confirmar o já esperado: a marca de Ingolstadt prevê deixar de lançar novos modelos com motores de combustão, já em 2026, sendo que, em termos de produção, a previsão é de que as linhas de montagem deixem de fabricar veículos com motores térmicos, no final de 2033.

Ainda assim, a Audi também afirma que, esta medida, contará com uma excepção: o mercado chinês. Isto, porque, acredita a marca alemã, a China deverá continuar a registar uma procura por modelos com motores de combustão para além de 2033, razão pela qual o fabricante admite continuar a produzir veículos do género, no mercado chinês, para além dessa data.

Apesar desta decisão, a Audi admite continuar a produzir veículos a gasolina e Diesel para o mercado chinês

De resto e graças também a esta decisão, a Audi afirma esperar conseguir atingir a neutralidade carbónica, 17 anos após o fim da produção deste tipo de motores, ou seja, em 2050.