Publicidade

Com V8 híbrido de 842 cv. Aston Martin prepara rival do Ferrari 296 GTB

Texto: Francisco Cruz
Data: 28 de Março, 2022

Procurando fazer uma marcação carro-a-carro aos rivais e, principalmente, à Ferrari, a Aston Martin prepara agora um novo modelo de entrada, destinado a fazer frente ao Ferrari 296 GTB. E, para isso, com V8 híbrido de 842 cv!

A notícia é avançada pela britânica Autocar, com a publicação a acrescentar que este futuro modelo, um desportivo de motor em posição central, irá recorrer ao mesmo V8 de origem AMG que já equipa, entre outros modelos, o novo superdesportivo Valhalla.

Este V8 4.0 litros contará com um apoio elétrico, traduzido num sistema híbrido plug-in, também como forma de garantir um nível de potência capaz de fazer com que este novo Aston Martin possa rivalizar com algumas das propostas do género mais potentes, como é o caso do rival Ferrari 296 GTB.

Já aplicado no Valhalla, o V8 de origem AMG terá, no futuro superdesportivo de entrada da Aston Martin, menos potência
Já aplicado no Valhalla (na foto), o V8 de origem AMG terá, no futuro superdesportivo de entrada da Aston Martin, menos potência

De resto e embora o V8 híbrido deste novo modelo não deva chegar aos 950 cv anunciados pelo oito cilindros do Valhalla, as expectativas são de que a potência possa ficar perto dos 639 cv. Ou seja,uma potência idêntica à anunciada pelo Mercedes-AMG GT 63, que já utiliza esse mesmo bloco.

Aliás e ainda sobre o facto deste novo modelo de entrada surgir como híbrido, vale a pena recordar que a Aston Martin já anunciou a intenção de hibridizar todas as suas plataformas (e, consequentemente, modelos) até 2025. O que, no caso do novo modelo, significará, segundo a Autocar, garantir, com a instalação de um motor elétrico no eixo traseiro, um acréscimo de 204 cv de potência, tal como já acontece no GT 63.

LEIA TAMBÉM
A prometer 3,5s nos 0-100 km/h. Aston Martin apresenta o V12 Vantage

A somar ao valor anunciado pelo V8, asseguraria uma potência total combinada de 842 cv, cifra que acabaria por posicionar este novo superdesportivo entre o DBS e o Valhalla.

Ainda sobre este futuro modelo, a publicação britânica avança que a proposta recorrerá a uma estrutura em fibra de carbono, como forma de garantir a combinação ideal entre leveza e rigidez, permitindo que o peso total não ultrapasse os 1.500 kg. Ou seja, 50 kg menos que o mais resistente e pesado Valhalla.

Além do motor, também o pacote aerodinâmico do novo superdesportivo será inspirado no do Valhalla
Além do motor, também o pacote aerodinâmico do novo superdesportivo será inspirado no do Valhalla

Ao mesmo tempo, o modelo beneficiará de um pacote aerodinâmico inspirado, precisamente, no do Valhalla, como forma de obter o máximo possível de downforce quando a altas velocidades, sem deixar de oferecer o maior índice de agilidade, nas curvas.

Finalmente, as expectativas são de que o modelo também surja tão bem equipado quanto os seus rivais, mantendo o foco, tanto numa ergonomia orientada para o condutor, como numa qualidade de construção e refinamento que quererão perdurar no tempo. Sem esquecer, por exemplo, a estreia de uma nova geração de sistemas de infoentretenimento com ecrã táctil, desenvolvidos especificamente para os desportivos com motor dianteiro – Vantage, DBS e DB11, com chegada a partir do final deste ano de 2022.