Pilhas

Volkswagen e Daimler juntam forças pelo lítio

Texto: Redação
Data: 14 Fevereiro, 2020

Depois do anúncio da adesão da rival BMW à IRMA –  Initiative for Responsible Mining Assurance, entidade que procura apelar a uma mineração responsável dos recursos naturais, eis que Volkswagen Group e Daimler decidem juntar esforços, no sentido de salvaguardar a sustentabilidade da mineração do lítio, no deserto de Atacama, Chile.

A notícia é avançada pela Reuters, destacando a fundamentação avançada pela Volkswagen e Daimler, segundo a qual, “o aumento da importância das baterias [no sector automóvel], tornou a sustentabilidade do lítio uma questão chave” para os dois fabricantes.

LEIA TAMBÉM
Bateria para carro elétrico que carrega em 10 minutos com 320km de autonomia

Ainda em dezembro de 2019, um tribunal ambiental chileno defendia “um elevado nível de incerteza científica”, relativamente à salvaguardada da integridade do ecossistema de Atacama.

Considerado um dos locais mais ricos no planeta, em termos de lítio, o deserto de Atacama tem vindo a ser alvo de interesse dos construtores automóveis
Considerado um dos locais mais ricos no planeta, em termos de lítio, o deserto de Atacama tem vindo a ser alvo de interesse dos construtores automóveis

A importância de Atacama

O deserto de Atacama é apontado como o local mais rico, neste minério, dentro do chamado “triângulo de lítio” da América do Sul. Facto que, por outro lado, eleva a preocupação quanto aos efeitos, a longo prazo, da extração.

Com o crescimento da procura por veículos elétricos e as exigências, por exemplo, da parte da União Europeia, relativamente às emissões, o lítio tem-se tornado um bem cada vez mais procurado.

LEIA TAMBÉM
Baterias de lítio ganham prémio Nobel da Química 2019

De resto, só o grupo Volkswagen, investiu já perto de 128 milhões de euros na produção de veículos zero emissões.