MobiecoTesla Model S 2020

Publicidade

Segundo a EPA. Tesla é a primeira marca a oferecer 400 milhas de autonomia

Texto: Redação
Data: 16 de Junho, 2020

A Tesla acaba de tornar-se na primeira marca a disponibilizar um automóvel 100% elétrico, capaz de oferecer uma autonomia, oficialmente reconhecida, de 400 milhas, ou seja, mais de 643 quilómetros. “Ora toma, Lucid!”, deve estar Elon Musk, neste momento, a dizer…

O anúncio foi feito, através de comunicado, pela própria marca norte-americana de veículos 100% elétricos, depois de ter visto o seu Tesla Model S homologado, pela Agência de Protecção do Ambiente (EPA) dos Estados Unidos da América, com uma autonomia de 402 milhas, cerca de 647 quilómetros.

O objectivo de garantir uma autonomia acima das 400 milhas tinha-se tornado uma corrida, para Elon Musk e seus pares, depois da tecnológica chinesa Lucid Motors ter prometido que o seu primeiro modelo, o sedan de luxo Air, chegaria ao mercado com uma autonomia superior a 400 milhas.

LEIA TAMBÉM
Tesla. Nova bateria percorrerá 1,6 milhões de kms e será mais barata

Considerada, neste aspecto e desde que chegou ao mercado, uma das referências, a Tesla parece ter conseguido, assim, calar o rival chinês, ao mesmo tempo que procura manter-se na liderança, entre os fabricantes de automóveis elétricos, no que à autonomia diz respeito.

Quanto ao feito agora alcançado, a Tesla justifica-o, através de comunicado, não apenas com um constante desenvolvimento e evolução da sua tecnologia de baterias, mas também através de várias evoluções feitas no Model S, a começar por uma significativa redução do peso e massa de vários componentes no Model S. Aproveitando, igualmente, o conhecimento entretanto adquirido com os mais recentes Model 3 e Model Y.

O Tesla Model S é o primeiro veículo elétrico, segundo a EPA, a garantir uma autonomia de 400 milhas
O Tesla Model S é o primeiro veículo elétrico, segundo a EPA, a garantir uma autonomia de 400 milhas

Igualmente novas, são as jantes “Tempest” e pneus capazes de reduzir o atrito, aos quais se junta, ainda, um aumento da eficiência da unidade de accionamento, do sistema de regeneração de energia na travagem, além de reforçado investimento na tecnologia Supercharging.

Recorde-se que o Tesla Model S já havia sido sujeito, anteriormente, a testes, pela EPA, tendo, nessa altura, sido homologado com uma autonomia máxima de 391 milhas, quase 630 quilómetros. Situação que acabou, inclusivamente, dando azo a acusações de Musk ao organismo, nomeadamente, que os técnicos da EPA se haviam esquecido das chaves do veículo no seu interior, causando uma perda de 2% na carga máxima das baterias, ainda antes do teste. Algo que o organismo negou.

Da esquerda para a direita: Model X, Model S e Model 3
Da esquerda para a direita: Model X, Model S e Model 3

Com mais esta conquista, a Tesla passa a figurar, segundo os critérios da EPA, como a marca detentora dos quatro modelos elétricos com maior autonomia, comercializados nos EUA: Model S, com 402 milhas de autonomia; Model X, com 351 milhas (565 km); Model 3 Long Range, com 330 milhas (531 km); e Model Y, com 316 milhas (508 km).