Publicidade

Renault Trafic L2H1 2.0 Energy dCi 145: imagem revista

Texto: Carlos Moura
Data: 30 de Julho, 2020

Com nova imagem exterior e interior, novo motor diesel e mais equipamento, a gama Renault Trafic foi otimizada para consolidar a sua posição no segmento dos furgões médios.

Para cumprir a norma de emissões Euro 6d – TEMP, que entrou em vigor em setembro de 2019, a Renault renovou a sua atual geração (a terceira) da gama Trafic.

Além de introduzir um novo motor diesel de 2,0 litros e de atualizar a imagem deste modelo para uniformizar a identidade visual de toda a sua gama de comerciais ligeiros, a marca francesa aproveitou para reforçar o nível de equipamento e introduzir conteúdos tecnológicos mais sofisticados.

Mantendo as mesmas formas e proporções do modelo lançado em 2014, o novo Trafic é facilmente identificável pela sua secção frontal que inclui a assinatura luminosa LED em forma de C, novos faróis full LED, uma grelha mais proeminente com o losango em destaque e novos elementos decorativos cromados.

Revisão interior

Igualmente revisto foi o design do interior que incorpora elementos oriundos dos ligeiros de passageiros da marca francesa. O tablier surge agora com pormenores em cromado acetinado nas saídas da ventilação, no enquadramento da consola central, nos comandos do ar condicionado, na alavanca da caixa de velocidades e nos manómetros.

Renault Trafic Furgão L2H11,2 T 2.0 Energy dCi 145
Renault Trafic Furgão L2H11,2 T 2.0 Energy dCi 145

A cabina recebe agora uma harmonia denominada “Cinzento Carbono”, que se prolonga aos painéis das portas, enquanto a alavanca da caixa de velocidades conta com um novo punho.

O novo Trafic passou a contar com novas soluções multimédia, caso do Media Nav Evolution com ecrã tátil – compatível com Android Auto e AppleCarPlay -, um novo rádio R&GO e um microfone também novo, para melhor qualidade das comunicações.

Os materiais utilizados no habitáculo estão adequados ao uso intensivo que estes veículos costumam ter. A ergonomia está igualmente em bom plano, com todos os comandos facilmente acessíveis.

Espaços para arrumações também não faltam no interior da cabina, incluindo dois porta-luvas, receptáculos no tablier e uma prateleira por baixo do tejadilho.

Volume útil de 6,0 m3

Entre as 275 versões disponibilizadas de fábrica, uma das propostas da gama Trafic consiste no furgão de mercadorias de chassis longo e tecto alto (L2H1).

Com um comprimento exterior de 5,34 metros, uma largura de 1,95 metros, uma altura de 1,97 metros e uma distância entre-eixos de 3,5 metros, este derivativo oferece um volume útil de carga de 6,0 m3.

Porta lateral deslizante integra a dotação de série

Isto deve-se à combinação de um compartimento de carga com 2,93 metros de comprimento, 1,66 metros de largura (1,27 metros entre as cavas das rodas) e uma altura de 1,39 metros. O plano de carga está a 55 cm do solo.

Para proteção do compartimento de carga, o piso e as paredes possuem revestimentos em madeira de 12 mm com resina anti-derrapante e em polipropileno de 3,8 mm lavável, respetivamente, ao abrigo de uma transformação realizada pela Renault Tech.

LEIA TAMBÉM
Renault. Oferta da Master Z.E. reforçada com versão chassis-cabina

Com o objetivo de transportar a carga em maior segurança existem 14 olhais de fixação no Trafic Longo. Para garantir uma melhor visibilidade, o compartimento de carga passou a contar com iluminação LED.

Acessibilidade

A acessibilidade ao compartimento de carga é assegurada por duas portas traseiras assimétricas. Esta solução possibilita o transporte de objetos mais longos, com a porta esquerda fechada e a direita aberta a 90º, estando sempre visível a chapa de matrícula e a respetiva iluminação.

As portas traseiras podem abrir num ângulo até 180º. Por sua vez, a acessibilidade lateral é garantida por uma porta deslizante direita com uma largura máxima de 1,03 metros e uma altura de 1,28 metros.

Motorização de 145 cv

No capítulo mecânico, o novo Trafic recebeu um novo motor diesel de 2,0 litros com turbocompressor de geometria variável para cumprir a norma de emissões Euro 6d-TEMP em associação com o sistema de redução catalítica (SCR) com AdBlue.

O novo bloco 2.0 dCi conta com tecnologia Stop & Start para ajudar a melhorar o consumo de combustível e com a função “Eco” que controla a resposta do acelerador para impedir uma subida excessiva da rotação do motor.

O indicador de mudança de mudança e uma luz no painel de instrumentos que muda de verde para a amarelo e vermelho em função da pressão sobre o acelerador auxilia o condutor a ser mais eficiente.

A unidade ensaiada contava com a versão de 145 cv do motor 2.0 dCi, que, em combinação com uma bem escalonada caixa manual de seis velocidades, oferece elevado binário a baixos regimes, assim como uma rápida subida de rotação.

No que se refere ao consumo de combustível, o computador de bordo indicou um valor de 8,4 l/100 km durante o ensaio, um valor acima dos 7,8 l/100 km anunciados pela marca.

Referência para a suspensão que evidenciou um razoável compromisso entre conforto e capacidade de carga.

Mundo de opções

Para proporcionar conforto, ergonomia e segurança, a gama Trafic recebeu algumas tecnologias de apoio à condução, embora a maioria esteja disponível na extensa lista de opcionais.

Entre os equipamentos disponíveis podemos encontrar, por exemplo, o sistema de ajuda ao estacionamento dianteiro e traseiro com câmara de marcha-atrás, integrado no Pack Hi-Tech, que também inclui faróis de nevoeiro e sensores de luminosidade.

O ar condicionado manual também é opção, assim como o Pack Navegação Media Nav Evolution com sistema de reconhecimento de sinais de trânsito ou o regulador de velocidade.

A dotação de série aposta forte na segurança. A antepara metálica constitui uma robusta barreira entre os ocupantes e a carga, ao que se junta o airbag do condutor, o ABS com EBV, o controlo eletrónico de estabilidade com auxiliar de arranque em subida e o Grip Extend (com modo fora de estrada) para garantir uma melhor tração em pisos escorregadios.

O equipamento de conforto é limitado, compreendendo os três lugares na cabina, o fecho central de portas, os vidros e retrovisores elétricos, o airbag do condutor, o rádio Connect R&GO com Bluetooth e comandos sob o volante.

Preço

Quanto ao preço, o Trafic Furgão L2H1 2.0 Energy dCi 145 é proposto a partir de 34.834 euros, com IVA incluído, valor bastante competitivo face à concorrência, embora a dotação de série seja limitada.

O acesso a uma versão mais equipada, como da unidade ensaiada que conta com 4.642 euros em opcionais, eleva o custo de aquisição para os 40.543 euros.

Com uma capacidade de carga superior a 900 quilos e um volume útil de 6,0 m3, a versão de chassis longo e tecto normal do novo Trafic dispõe de argumentos válidos para consolidar a sua posição no segmento dos furgões de dimensões médias: oferece mais equipamento, conteúdos tecnológicos mais sofisticados, assim como um novo motor diesel maior e mais eficiente.

Apesar dos 5,40 metros de comprimento, a condução é semelhante ao de um ligeiro de passageiros, embora numa posição mais elevada. A acessibilidade e funcionalidade do compartimento de carga continuam a ser outros pontos fortes do furgão médio da Renault.

Ficha técnica

Preço40.543€
Motor4 CIL; 1997 CC; 145 CV; 3500 RPM
Binário350 Nm
TransmissãoDianteira; 6 Vel; Man
Comp./Larg./Alt.5399/1956/1967 mm
Distância entre-eixos3498 mm
Peso2145 kg
Capacidade de carga905 kg
Volume útil6,0 m3
Consumo7,8 (8,4*) L/100 km
Emissões270 G/KM
IUC53 euros

Equipamento

Alternador (180A), recuperação de energia na travagem, redução catalítica selectiva. Faróis Full LED, luzes diurnas, sistema Stop & Start, filtro de partículas, vidros e espelhos exteriores elétricos, Rádio Connect R&GO, Bluetooth, USB e Jack, comandos no volante, antepara completa em chapa, portas traseiras em chapa com abertura a 180º, porta lateral deslizante em chapa, fecho centralizado, airbag condutor, ABS com EBV (repartição eletrónica de travagem), controlo eletrónico de estabilidade (ESP + ASR), jantes em aço de 16”, vidros escurecidos.

Ensaio publicado originalmente na Turbo Comerciais 37 – fevereiro de 2020