Mobieco

Publicidade

Primeiro EV europeu com extensor. Opel comemora 10 anos do Ampera

Texto: Redação
Data: 17 de Fevereiro, 2021

Primeiro automóvel elétrico de uma marca europeia dotado de extensor de autonomia, o Opel Ampera está a comemorar, este ano, 10 anos passados sobre a sua apresentação. Proposta revolucionária que, de resto, acabaria sendo eleita “Carro do Ano” na Europa, em 2012…

Numa altura em que a Opel aposta fortemente no Veículo Elétrico (EV), nomeadamente, através do lançamento, só este ano, de nove veículos eletrificados, a marca de Rüsselsheim celebra, igualmente, em 2021, os 10 anos da apresentação do primeiro automóvel elétrico, nascido no seio de uma marca europeia, com extensor de autonomia: o Opel Ampera.

Colocado à venda em 2011, o primeiro Ampera teve um início de vida verdadeiramente promissor, desde logo, ao tornar-se o automóvel elétrico mais vendido na Europa, em 2012, com 6631 unidades transacionadas. Sinónimo de cerca de 21,0% do segmento europeu de veículos elétricos.

O Opel Ampera original

Eleito, também nesse ano, “Carro do Ano 2012” na Europa, a primeira geração do Ampera venceu, inclusivamente, o 13º Rali de Monte Carlo para automóveis elétricos e sistemas de propulsão alternativos, conduzido pelo lendário piloto de ralis francês Bernard Darniche, acompanhado por Joseph Lambert. Sendo que, outros três Ampera, terminaram a prova entre os dez primeiros classificados.

Recorde-se que o primeiro Opel Ampera tinha na base um pack de baterias de iões de lítio de 16 kWh, a alimentar uma unidade de propulsão elétrica de 111 kW/150 cv. Solução elétrica baptizada de Voltec que permitia, quando com as baterias totalmente carregadas, entre 40 a 80 km de mobilidade 100% elétrica, com zero emissões. Ou, então, mais de 500 km, utilizando o extensor de autonomia traduzido num motor a gasolina de 1,4 litros e 86 cv de potência.

LEIA TAMBÉM
Oficinas a trabalhar. Opel à distância de um clique e com entregas em casa

Ainda segundo as normas de medição de consumo de combustível e de emissões de CO2 da época, o Ampera consumia 1,2 l/100 km e emitia 27 g/km de CO2, valores conseguidos em ciclo misto NEDC.

Em estrada, o sistema de motorização garantia ao Ampera um binário instantâneo de 370 Nm, capaz de permitir uma aceleração dos zero aos 100 km/h em cerca de nove segundos. Assim como alcançar uma velocidade máxima de 161 km/h.

O tablier do primeiro Opel Ampera

O Ampera era entregue aos clientes com um cabo de carregamento de seis metros de comprimento, alojado na bagageira, sendo que, recorrendo a uma tomada de 230 V de 6A ou 10A, os proprietários podiam carregar totalmente a bateria, em cerca de nove ou cinco horas, respetivamente. Bem como programar o horário de carregamento.

Finalmente e a par destas características técnicas e tecnológicas, o Opel Ampera de primeira geração exibia um design aerodinamicamente eficiente, conjugado com ecrãs policromáticos de alta definição e com funcionalidade ‘toutch-screen’ e um ecrã gráfico configurável no lugar da consola de informações. Tudo isto, além da funcionalidade decorrente das cinco portas, a habitabilidade traduzida em quatro lugares e uma capacidade de carga que pode variar entre os 310 e os 1.005 litros.